quinta-feira, 21 de abril de 2011

Terceira jornada de trabalho!


Meu dia começa cedo, às 4:30 da manhã quando acordo para trabalhar, e só termina às 23:30, depois de passar a roupa e fazer o Edu dormir. Quase não tenho tempo para escrever, fazer as unhas ou arrumar o cabelo. Sem contar que há anos não frequento uma academia de ginástica. O tempo que me sobra é para tomar banho e fazer um lanche rápido.
Mas, essa rotina estafante não é um "privilégio" só meu. Hoje em dia as mulheres têm que trabalhar fora para ajudar o marido, e estudar, para alcançar uma colocação profissional melhor, que lhes ofereça um salário mais gratificante. Ou seja, após tantas conquistas, continuamos a nos considerarmos as responsáveis pelo lar, nos igualando às mulheres dos anos 50, cujos sonhos se resumiam a conquistar um marido que lhes desse casa, filhos e uma geladeira cheia.
Atualmente trabalhamos fora e vestimos as roupas que desejamos. Também escolhemos nossos maridos e o nosso emprego. Mas, não decidimos que teríamos uma terceira jornada de serviço. Ajudar nas despesas tudo bem! Mas, arcar com tudo sozinha é inaceitável. Precisamos de outras lutas feministas. As de antes estão desgastadas de tanto desrespeito. A mulher precisa ter pulso firme para negar certas coisas. O não serve para evitar abusos. Ainda deixamos de gastar dinheiro conosco para comprar produtos de limpeza para a casa, não denunciamos nosso agressor para um homem, acreditando que um dia ele irá mudar.
O feminismo parece que se perdeu no dia-a-dia corrido da mulher. Se ela não tem tempo para si, terá para brigar, para defender seus direitos?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários para carlahumberto@yahoo.com.br