quarta-feira, 6 de abril de 2011

Tecnologias a jato, conteúdo inadequado!!!



Com alguns anos de vida, acompanho a transformação do mundo  e as novidades em tecnologia que surgem a todo tempo. O lado bom de tudo isso é a melhoria no campo da saúde e da comunicação, principalmente. Acabo de comprar uma televisão nova, em substituição a que queimou. O aparelho antigo, de 24 polegadas, já se tornou obsoleto e agora a moda é a TV Digital. A imagem da atual é linda, mais limpa, em relação à analógica, mas o objetivo é o mesmo. Seria ideal que o conteúdo das emissoras, acompanhassem essa evolução. Mas é aí que os problemas começam.
Se a tecnologia avança a cada hora, com novidades que facilitam a vida do ser humano, ele próprio não muda. Médicos, que podem contar com aparelhos sofisticados para diagnósticos e cirurgias, se esqueceram dos sentimentos e visam o dinheiro, com exceções dignas, é verdade. Em relação à TV, acontece o mesmo. Visa-se principalmente o lucro, com programas apelativos, por vezes ridículos, sendo alguns exemplos, Big Brother Brasil, Programa do Faustão, novelas recheadas de sexo e violência.
Lembro-me quando chegou a televisão à minha casa, pela primeira vez. Eu tinha cinco anos de idade, tomei banho e pus minha roupa de domingo para receber aquele aparelho tão sofisticado para a época e muito caro (na minha rua, apenas um morador dispunha de TV), que mudaria minha vida para sempre. Depois que ela ficou na sala, minhas manhãs, que eram passadas na rua, com brincadeiras folclóricas e inocentes, tornaram-se regradas, pois passei a acompanhar e a esperar com ansiedade pelos desenhos animados da ápoca, como Pica-pau e Tom e Jerry.
Os gritos da minha mãe para que eu e minhas irmãs saíssemos de frente à TV tornaram-se mais altos. Os passeios à casa de parentes foram ficando escassos, substituídos pela programação enlatada. No entanto, olhando para trás, vejo que ainda estivemos no lucro. Hoje, as crianças sequer podem sair às ruas, não conhecem brincadeiras de roda, não inventam histórias como nós. Elas tornaram-se mais agressivas em apartamentos, imitando seus heróis, que hoje usam armas mortíferas e não perdoam o inimigo. Bem diferente de alguns anos, quando brigar significava no máximo "ficar de mal". 
A TV de hoje perdeu seu signicado de diversão, entretenimento. Virou um negócio valiosíssimo, em que serve de exemplo para marginais que obtém sucesso com matança no capítulo final, ou para as jovens, quando valoriza as prostitutas em suas novelas, mostrando-as vítima da sociedade. Um horror, que só tende a aumentar a cada dia, assim como a tecnologia.

Em frente à TV, assistindo desenho animado. Pose em frente ao aparelho tão sgnificativo, nos anos 70.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários para carlahumberto@yahoo.com.br