quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Homens não são charmosos!

Quando uma mulher tem um encontro romântico, ela passa o dia inteiro se arrumando para impressionar o homem que deseja. Escolhe um lindo vestido (de preferência que mostre suas curvas e seja da cor preta), usa uma maquiagem aveludada e um salto alto sexy. Seu comportamento neste dia, jamais pode ser levado em conta em caso de um relacionamento posterior, sério, pois esta noite é apenas "fantástica", imaginária, ilusória, para deixar marcas para que seu pretendente marque um novo encontro e a partir de então, fisgá-lo de vez.
Com os homens, nem sempre isso acontece. Para a maioria deles, um encontro pode significar apenas mais um, e por isso, se comportam com tanta "sem-graceza", de um dia como outro qualquer. Alguns chegam  a usar a mesma roupa do trabalho ou o tênis sujo de uma semana inteira. Ou, vão direto do serviço para o local marcado. Em meus tempos de *"Dona Baratinha", pude comprovar o quanto isso deixa uma mulher  decepcionada. Já tive um pretendente que tirou os sapatos num restaurante enquanto conversávamos. Eu só percebi isso porque um objeto caiu no chão e ao pegá-lo, fui surpreendida com tal façanha.
Um outro pretendente, ao invés de me buscar em casa, pediu que eu o encontrasse num shopping para assistirmos a um filme de ação (de ação!!!). Detalhe: eu já estava pronta, de salto alto e o temporal estava terrível! Não fui, claro. Mas o recebi em casa, que pediu como bebida, um leite "quentinho, com açúcar". Nunca mais atendi seu telefone. Outro, me levou para casa de ônibus, num frio de doer os ossos, e ao se despedir de mim, ligou para um táxi buscá-lo. Tem condições? Não quis saber mais dele!
O próximo candidato parecia o homem certo. Era bonito, cheiroso, metido a engraçado e simpático. Mas, no meio da conversa, vi que sua auto-estima era muito baixa, reclamava do salário e da pensão que dava para a ex-mulher. Já no primeiro dia, quis ir ao cinema e perguntou se eu tinha carteira de estudante, porque assim ele pagava meia-entrada. Não acreditei! E na saída, fui eu quem pagou o estacionamento do carro DELE, o sorvete DELE e dei gorjeta para o garçon. O mais terrível foi quando ele me perguntou o que eu gostaria de ganhar de presente pelo Dia dos Namorados: um CD de 20 reais ou dois de 10 reais. Não há atração que aguente tanta miséria.
Um encontro romântico tem que ter mistério, beleza, segredos. Arregalar demais suas qualidades ou defeitos, com o intuito de se mostrar por inteiro, não funciona nem mesmo nos contos de fadas. Depois de casados tudo vira rotina, é impossível manter o charme por tanto tempo. Mas, é sempre bom manter as intimidades com certas reservas. Se nem Dona Baratinha aguentou, imagine nós, pobres mortais, belas, maquiadas, de salto alto, com cabelos escovados! Só há conquista amorosa, se houver charme. Não há outra receita.

*Personagem de fábula infantil, que deseja se casar e para isso, faz uma seleção com vários animais, sendo que todos eles tinham um defeito. O menos "problemático" era o Rato, mas que no dia do casamento, a decepcionou também, por ser comilão. Ele morreu afogado no feijão, e Dona Baratinha mais uma vez ficou sem pretendente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários para carlahumberto@yahoo.com.br