quinta-feira, 7 de julho de 2011

Excesso de simplicidade não dá!



Segundo encontro com o Humberto, numa festa em família,  em setembro de 2004

Toda mulher sonha em se apaixonar por um homem encantador, que a faça feliz e realizada. Se ele for bonito e educado, então, completa o quadro de exigências. No entanto, nem sempre isso acontece.  Antes de me casar, fiz muitas tentativas com alguns pretendentes. Eu parecia a D. Baratinha, do Conto de Fadas, que ficava na janela, à espera de um bom partido. Certa vez, dispensei um advogado, que pediu "leitinho quentinho" para minha mãe, quando ela ofereceu algo para ele beber. Mas, o mais estranho foi quando se levantava e sentava, ao me comparar com fotos antigas de meu álbum de fotografias. Nunca mais atendi seus telefonemas.
Meses depois, conheci um policial que reclamava, o tempo todo, do salário, das despesas, da pensão que pagava para o filho. Nos barzinhos, ele sempre pedia o alimento mais barato e cheguei a tomar coca-cola com pãozinho: de queijo, de sal, com orégano, em forma de canapés. O sorvete que ele tomava e o estacionamento do carro, era sempre eu que pagava. Um horror! O namoro durou pouco mais de dois meses e eu não aguentava mais tanta miséria. A "bomba" veio quando ele, numa lanchonete, contou todas as moedas da polchete, para pagar o sorvete, que desta vez, me recusei a pagar. Sem contar os vários tipos de armas que carregava até em festa de criança! Decidi que merecia coisa melhor e era o momento de terminar aquilo tudo.
Eu acredito que os homens são diferentes das mulheres em muitas coisas, mas no primeiro encontro amoroso, eles planejam pouco, ou fazem tudo errado. Às vezes, se expõem muito, causando pânico no sexo feminino. Enquanto nos preparamos o dia todo,  alguns sequer se barbeiam. Outros, se preocupam com a roupa externa, e na intimidade, aparecem com peças de cores estranhas, falam muita besteira ou reclamam dos gastos. As mulheres são sensíveis e não gostam de tanta simplicidade. O amor pode até vir com o tempo, mas a admiração deve ser imediata! E não vale cometer gafes no casamento. Para a mulher, a conquista deve ser diária. Ir ao banheiro de porta aberta, comer demais, e usar cuecas vermelhas ou meias cor-de-nada, é o mesmo que pedir o divórcio, mesmo que ele não exista nas histórias de princesas.

Um comentário:

  1. Carla,
    Fico impressionada como você escreve! Pelo que te conheço, fala o que realmente pensa! Muitos não o fariam, apenas iam buscar palavras bonitas, para florear! Continue assim escrevendo o que a gente realmente pensa, mas muitas não tem coragem para falar ou escrever!

    Beijos,
    Kátia cardoso

    ResponderExcluir

Comentários para os e-mails: carlaolharfeminista@gmail.com ou carlahumberto@yahoo.com.br

Beijos,

Carla Vilaça