sábado, 2 de janeiro de 2016

SUS pagará dor de alma também???

O SUS, Sistema Único de Saúde, irá fornecer cirurgia plástica para mulheres que tiveram seus rostos destroçados em situação de violência, numa tentativa de amenizar o sofrimento destas vítimas. A Lei, sancionada pela presidenta Dilma Rousseff,  no último dia 31 de dezembro, obriga hospitais públicos do Brasil a notificarem os casos e encaminhá-los aos médicos especializados, diante de Boletins de Ocorrência que comprovem as agressões. Segundo o Ministério da Saúde, em 2014 mais de 200 mil mulheres foram vítimas de diversos tipos de violência, sendo que as agressões acontecem principalmente dentro de casa.Os dados de 2015 ainda não foram computados.
Qualquer iniciativa para se combater todo tipo de violência é válida. No entanto, é preciso analisar cada questão de acordo com a realidade. Não seria mais eficaz se, ao invés de tentar "consertar" (nem sempre isso é possível), um rosto desfigurado, o Governo propusesse a prender realmente os agressores? Seria mais interessante que uma ala nas cadeias fosse destinadas aos maridos, namorados, noivos, vizinhos, desconhecidos, que estupram, matam, humilham, sequestram e machucam as mulheres. A Lei Maria da Penha, por exemplo, foi uma esperança para as agredidas, mas ela vale pouco, uma vez que não há uma punição efetiva aos agressores.
Não desejamos conserto em nossos rostos. Queremos prisão para os homens que nos desrespeitam ou que nos tratam como objetos. Quando somos violentadas em nossos direitos e corpos, é nossa alma que sangra e é nossa auto-estima que destroça. Não somos bonecas infláveis para satisfazermos apenas o desejo sexual dos homens e nem objeto de publicidade para vendermos de cervejas a automóveis, em roupas minúsculas ou nuas. Também não somos mães de marmanjos, arcando com a responsabilidade única de arrumar a casa e tomar conta dos filhos, enquanto os nossos companheiros se divertem com futebol e amigos.
Quem somos nós, afinal? Quando seremos tratadas com o mesmo privilégio dos homens? Até quando precisaremos de leis que consertem o que os machões estragam em nós? Estamos cansadas, esgotadas de sermos vítimas desse machismo escondido em estratégias que nos colocam em segundo lugar. Não queremos medidas paliativas para devolver os nossos rostos, exigimos eficácia na punição de assassinos, torturadores (físicos e emocionais), estupradores, assediadores.
É uma ilusão acreditar que esta Lei nos defende. Na verdade, ela é mais uma prova de um País que permite a covardia de homens contra mulheres, que não tem coragem de mantê-los encarcerados com a desculpa de um sistema prisional lotado. Rostos novos não restauram sofrimentos internos e as humilhações cortam os estímulos de vida. Se o SUS vai restaurar a beleza de mulheres agredidas, nós até agradecemos. Mas não é isso o que queremos. Precisamos com urgência que os problemas não sejam transferidos para a saúde, mas que o Judiciário seja eficaz como deveria ser. Queremos homens covardes na cadeia e ponto final!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários para os e-mails: carlaolharfeminista@gmail.com ou carlahumberto@yahoo.com.br

Beijos,

Carla Vilaça