EM OUTRAS ÁREAS


Aisha Bint Al Hussein Princesa nascida em 23/04/1968 (morto em 1999), filha do rei Hussein da Jordânia, é a primeira coronel do sexo feminino do estado Árabe. Até então as mulheres da Jordânia só podiam servir o Exército como professoras, secretárias ou enfermeiras. Estudou em Oxford. Em 1994 tornou-se a presidente da Diretoria para Assuntos da Mulher criada por Houssein a seu pedido. Entrou para a polícia em 1987 ao ver o irmão mais velho, Abdullah na Academia Militar Real Britânica em Sandhurt na Inglaterra. Casada com Zeid Saadedine, tem 2 filhos.








Donna Hrinak – Diplomata nascida na Pensilvânia (EUA) em 1950, Donna Jean Hrinak foi embaixadora dos Estados Unidos no Brasil, eleita uma das 10 mulheres mais bem-sucedidas nos Estados Unidos, em 1985. Entre 1998 e 2000 foi embaixadora na Bolívia, supervisionando com mãos de ferro um programa de redução do cultivo de coca no país. Já foi embaixadora também na República Dominicana. Na Colômbia negociou um acordo de combate ao narcotráfico. Poliglota, fala 4 línguas. Atualmente, dá palestras em empresas. Casada com Luís Flores, tem um filho.







Andrea Eloiza da Silva - Vendedora nascida em Contagem (MG), processou o ex-patrão, Mozart Santiago da Silva por apelidá-la de 'Loura burra' e ganhou uma indenização inédita no País, no valor de 3.600 reais, em outubro de 2001. Andréia trabalhou um ano e meio na empresa, a Usinagem RPM, onde ganhava dois salários mínimos.


Anita Hill - Secretária e professora de Direito nascida em 30/07/1956 em Oklahoma (EUA), denunciou o chefe, Clarence Thomas que a chantageava exigindo favores sexuais, em troca de promoção no trabalho, em 1991. O caso foi parar na Justiça. A partir daí surgiu o termo 'assédio sexual' para cantadas no trabalho. O caso fez crescer a consciência pública do problema e provocou a abertura de ações judiciais, em todo o mundo. No Brasil, o assédio sexual é considerado crime desde 06/2001e prevê pena de 01 a 2 anos de prisão.




  

Cristiana Arcangeli – Dentista e empresária nascida em São Paulo (SP), foi proprietária da Phytoervas empresa de cosméticos naturais que foi vendida a empresa para uma multinacional. Em 1994 criou o Phytoervas Fashion para incentivar novos estilistas e promover jovens talentos. Criou a Fundação Phytoervas de Proteção ao Índio Brasileiro com o objetivo de desenvolver projetos de caráter conservacionista da cultura indígena. Em 1995 trouxe ao Brasil marcas estrangeiras de perfumes. É consultora de beleza na Rádio Eldorado FM, além de assinar colunas em revistas de moda e beleza. Em 2006, foi empossada acadêmica da Academia Brasileira de Marketing, na cadeira de número 21 e eleita Personalidade do Ano, pelo governo do Estado de São Paulo. Fala 5 línguas. Casada, tem dois filhos.


Cristina Bonfiglioli – Bióloga nascida em São Paulo (SP), é coordenadora de propagandas do Greenpeace do Brasil. Em 1999, foi para a Antártica na companhia de 30 colegas de 13 países, onde ficou em alto mar no navio MV Arctic Sunrise, sendo a única mulher em missão no extremo sul do planeta. Na ocasião ajudava a atrapalhar uma frota de 5 navios japoneses que caçavam baleias na região.




Dadá - culinarista e quituteira nascida na Fazenda do Conde (BA), Aldaci dos Santos começou a trabalhar na infância como vendedora de sardinhas na rua. Na juventude foi para São Paulo, mas voltou para Salvador ao saber da morte do noivo por acidente de carro (meses depois perdeu a mãe de câncer e o irmão atropelado). Passou a trabalhar como doméstica, depois como vendedora de bolos e mingaus em feiras, e marmitas. O apelido vem jeito de pedir comida, quando era criança. Casada com o ex-garçom Paulo, tem duas filhas, Rafaela e Daniela. Seu restaurante na Bahia é frequentado por artistas e políticos.



Eliana Calmon – Advogada e professora nascida em Salvador (BA), Eliana Calmon Alves dá aulas de Direito em Salvador e em Brasília, foi juíza do Tribunal Regional Federal da Primeira Região (Distrito Federal). Em 2001 assumiu o cargo de presidenta do Superior Tribunal de Justiça (STJ) em substituição ao ministro Peçanha Martins, sendo a primeira mulher a ocupar o cargo.






Elis de Souza - magistrada brasileira, assumiu em 2001 as funções de procuradora da seção especial de crimes graves no Tribunal de Dili, em uma cerimônia presidida pelo compatriota Sérgio Vieira de Mello, administrador provisório da ONU, no Timor Leste. A seção, que tem 9 procuradores, é encarregada das acusações de crimes contra a humanidade praticados pelas milícias pró-indonésias em 1999, durante o plebiscito sobre a independência.








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário, se desejar: carlaolharfeminista@gmail.com ou carlahumberto@yahoo.com.br

Beijos, Carla Vilaça