NO ESPORTE


Alice de Jesus Gomes Coelho – Enfermeira e atleta nascida no Rio de Janeiro (RJ), filha de mãe alcoólatra e pai desconhecido, foi campeã sul-americana em 1956 nos 200m e nos 80m com barreira, e bateu o recorde no salto em altura. Em 1986 foi medalha de ouro do sul-americano e masters do arremesso e peso. Em 1997, participou na África do Sul de uma competição de arremesso de peso para veteranos, conquistando o 14º lugar. Foi menina de rua e despertou a atenção de um diretor do Botafogo em 1948. Aos 69 anos criou a Vila Olímpica da Mangueira, instituição que ensina esporte a crianças carentes. Tia Alice, como é conhecida, já beneficiou 5 mil jovens entre 13 e 16 anos. Na infância trabalhou como faxineira, lavadeira e babá. Chegou a trabalhar no Hospital Jesus e no Instituto Oscar Clark de Medicina Física.



Althea Gibson - Tenista nascida em 25/08/1927 nos Estados Unidos de família pobre, ganhou 11 títulos entre 1956 e 1958. Em 1957 foi a primeira negra a receber o título de mulher do ano, e a primeira negra a vencer o Torneio de Wimbledon. Em 1958 venceu o torneio na disputa de duplas, jogando ao lado da brasileira Maria Esther Bueno. Em seguida abandonou o esporte e nos anos 70 tentou investir no golfe, sem sucesso. Morreu aos 76 anos em decorrência de uma infecção na bexiga e nos rins em Nova Jersey em 28/09/2003. Sua vida é contada em sua autobiografia.






Anna Kournikova – Jogadora de tênis nascida em Moscou, Rússia em 07/06/1981, ficou famosa pela beleza física e não pela competência nas quadras. Em 1997 disputou 10 torneios sem ganhar nenhum, e em 2002 foi eliminada logo na primeira rodada das três primeiras competições, sendo que na última delas perdeu para uma desconhecida, a grega Eleni Danilidou. É considerada a 4a atleta com maior poder de marketing no mundo, perdendo apenas para o jogador de basquete Michael Jordan. É a primeira tenista a fazer sucesso fora do esporte: participou do clipe do cantor Enrique Iglesias, seu namorado, fez comerciais e filmes, lançou um perfume e escreveu um livro. Em 2001 ganhou 12 milhões de reais com publicidade. Já se deixou fotografar com uma camiseta molhada e sempre aparece com vestidos decotados. Foi eleita uma das 50 personalidades mais bonitas do mundo pela revista People. Ficou em 54º lugar na lista das 100 celebridades mais poderosas da revista Forbes.


Babe Zaharias – Atleta nascida em 26/06/1914 nos Estados Unidos, Mildred Didrickson Zaharias foi a atleta mais importante do mundo. Como golfista foi a responsável pela mais longa tacada: 300m. Aos 18 anos conquistou sozinha o título de equipe nos campeonatos de atletismo feminino e provas olímpicas vencendo 5 das 8 provas. Duas semanas depois bateu recordes mundiais em 2 das 3 modalidades. Chegou a ganhar 100 mil dólares em um ano no golfe e em 1947 venceu 17 torneios seguidos. Recebeu o apelido de Babe na infância por causa da atriz Babe Ruth, que fazia sucesso na época. Morreu em 27/09/1956 de câncer.






Billie Jean King – Tenista nascida em 22/11/1943 na Califórnia (EUA), foi a fundadora do primeiro Tour Feminino de Tênis e conquistou todos os maiores prêmios do esporte chegando em 1979 a um recorde de 20 títulos de Wimbledon (6 simples, 10 duplas e 4 duplas mistas). Superou algumas deficiências de visão, problemas de respiração e no joelho, que precisou de várias operações. Fez campanhas iguais para homens e mulheres, lutou contra o preconceito masculino e criou uma revista de esporte dedicada ao público feminino. Teve um relacionamento lésbico que acabou no tribunal, num processo onde saiu vencedora.



Catherine Lacoste – jogadora de golfe nascida na França em 27/06/1945, fillha da campeã de golfe, Simone Thion de La Chaume e do campeão de tênis, René Lacoste, criador das camisas que levam a marca de um crocodilo, famosa no mundo inteiro.aos 19 anos, torna-se Campeã do Mundo no Golfe.







Charlote Cooper - Tenista nascida na Inglaterra em 22/09/1870, Charlotte Reinagle Cooper foi a primeira mulher a conquistar uma medalha de ouro, no Torneio feminino das Olimpíadas de Paris. Foi uma das primeiras tenistas a usar o voleio, técnica que a ajudou a conquistar o primeiro torneio de simples de Wimbledon, em 1895. Conquistou os títulos em 1896, 1898, 1901 e 1908, este aos 37 anos. "Chattie", como era chamada, foi a primeira mulher a conquistar uma medalha de ouro olímpica. Sua maior rival era Blanche Hillyard, que a derrotou em três torneios de Wimbledon. Morreu em 10/10/1966, na Escócia, aos 96 anos de idade.






Cecil Leitch – Jogadora de golfe nascida na Inglaterra em 13/04/1891, Charlotte Cecilia Pitcairn Leitch era chamada de ‘A Primeira das Amazonas’ por causa da força das tacadas e da elegância. Em 1910 perdeu uma partida (72 holes, ou buracos) contra Harold Hilton, uma golfista que ganhara 2 campeonatos abertos. Em 1914 venceu o primeiro dos 4 campeonatos britânicos e os Campeonatos da Inglaterra em 1914 e 1919. Em 1920 perdeu o título para Joyce Wehered. Em 1921 venceu nas finais do Campeonato Britânico e no Campeonato Francês. Mas perdeu as finais britânicas de 1922 e 1925 caindo para o 37º lugar. Em 1926 venceu o Campeonato Britânico. Em 1927 sua irmã Edith Guedalla venceu o Campeonato Inglês. Morreu em 16/09/1977.



Cláudia Magalhães – Primeira ginasta brasileira a disputar uma olimpíada conseguindo 71,90 pontos no último campeonato mundial, que lhe valeu o 118º lugar no ranking internacional. Em 1980 foi para Moscou exibir no solo tendo ao fundo uma movimentada música de discoteca.




Daiane dos Santos - Ginasta nascida em Porto Alegre em 10/02/1983, filha de um funcionário da Febem, ganhou medalha de ouro no campeonato mundial de ginástica na Califórnia em 2002 aos 20 anos. O salto duplo twist carpado executado por ela acabou sendo batizado de 'Dos Santos' e passou a fazer parte do código de pontuação das competições (sempre que um atleta executa um novo movimento pela primeira vez, ele recebe seu nome). Em junho de 2004 conquistou em Cottbus, a medalha de ouro na etapa alemã da Copa do Mundo de Ginástica Olímpica, obtendo a maior nota da competição com a sequência dos movimentos duplo twist esticado e duplo twist carpado. Em 2003 ganhou em Moutier, na Suíça o Prêmio Unesco da Juventude por sua dedicação ao esporte. Foi descoberta por uma professora de educação física quando subia em brinquedos num parque.





Dailza Damas – Nadadora nascida no Paraná, em 06/12/1957, filha de um carreteiro e uma lavadeira, numa família de 13 irmãos, em 1992 atravessou o Canal da Mancha em 19 horas e 16 minutos. Foi a segunda mulher a atravessar o Canal, que liga a França à Inglaterra e a 441º pessoa no mundo a conseguir a façanha. Seu objetivo inicial era homenagear a nadadora brasileira Renata Agondi que morreu ao atravessar o Canal da Mancha em 1988. Na época estava começando a treinar para as competições. Sem patrocínio e com ajuda de amigos conseguiu participar de várias provas no Brasil e no exterior. Viu o mar pela primeira vez aos 13 anos e aprendeu a nadar aos 28 anos, junto com o filho, que tinha bronquite. Morreu aos 52 anos de parada cardíaca, um mês após retirar um tumor no cérebro. Seu filho hoje é engenheiro.





Daniele Hipólito – Ginasta nascida em 08/09/1984 em Santo André (SP), Daniela Matias Hipólito conquistou a inédita medalha de prata para a ginástica olímpica brasileira no torneio mundial em Ghent na Bélgica em 2001. Menos de um mês depois acumulou 3 medalhas no Torneio Internacional de Marselha, na França: ouro nos exercícios de solo, prata no individual e bronze nas barras assimétricas. Participou das Olimpíadas de Sydney em 2000. De família humilde, não tinha patrocinador. Foi considerada a quarta melhor do Mundial em 2001, competição mais importante depois das Olimpíadas.





Fernanda Keller – Tri-atleta nascida em Niterói (RJ), é recordista sul-americana de provas de Iron Man (longas distâncias). Em 1995 conquistou o pentacampeonato do Troféu Brasil de short triatlon e o primeiro lugar do campeonato Internacional do Rio de Janeiro. Na prova Ironman chegou em 5o lugar entre as 40 maiores triatletas do mundo. É a brasileira com mais títulos no esporte. Casada com o diretor de cinema Sérgio Mello, não tem filhos.






Florence Griffth Joyner – Psicóloga, ex-bancária, dona de salão de beleza e atleta nascida em Los Angeles (EUA) em 21/12/1959, Delorez Florence Griffith começou a correr aos 7 anos. Recordista nos 100m e 200m foi a mulher mais veloz do mundo. Ganhou 3 medalhas de ouro em Seul. Em 1983 ficou em 4o lugar nos 200m no Mundial de atletismo. Em 1984 ganhou medalha de prata nos 200m na Olimpíada de Los Angeles. Em 1987 ficou em 2o lugar nos 200m no Mundial de atletismo. Em 1988 quebrou o recorde mundial dos 100m nas quartas-de-final para a Olimpíada com o tempo de 10s49. No dia seguinte, venceu a final com o tempo de 10s61. Também quebrou um recorde mundial nos 200m com o tempo de 21s34. Conquistou três medalhas de ouro (100 m, 200 m e revezamento 4 x 100 m) e uma de prata. Vaidosa, corria com unhas enormes pintadas, uniforme colante e cabelos longos e soltos. Ganhou muito dinheiro em comerciais de roupas, brinquedos, etc. Foi casada com seu treinador, o atleta Al Joyner. Morreu de ataque cardíaco em 2000.




Gabrielle Andersen-Scheiss – Maratonista e Instrutora de esqui nascida na Suíça, aos 39 anos participou dos Jogos Olímpicos de 1984, em Los Angeles, cruzando a linha de chegada 23 minutos depois da campeã, a americana Joan Benoit. Amparada pelos médicos, foi aplaudida de pé. Os organizadores queriam que desistissem, mas ela não quis. Atualmente os atletas podem receber atendimento médico durante a competição sem risco de serem desclassificados. Foi o 37o lugar mais aplaudido da história das Olimpíadas.






Georgette Vidor – Técnica de ginástica olímpica nascida em São Paulo (SP), ficou paraplégica num acidente entre uma carreta e o ônibus em que ela e uma equipe de ginastas do Flamengo estavam em 29/05/1996. Foi técnica da seleção brasileira (participou de 9 Campeonatos do Mundo e 3 Olimpíadas) e do Flamengo (para onde voltou meses após o acidente). Após o acidente foi abandonada pelo ex-marido. Independente e vaidosa, não sai sem maquiagem e fez lipoaspiração na barriga. Faz tratamento nos Estados Unidos e sonha com a criação de uma cirurgia de religação da coluna. Em 2000 reencontrou um ex-namorado e passaram a viver juntos. Em 2002 foi eleita deputada estadual no Rio de Janeiro (RJ).




Gertrude Ederle - Nadadora nascida em 23/10/1906 em Nova Iorque (EUA) filha de alemães, Gertrude Caroline Ederle foi a primeira mulher a atravessar o canal da Mancha em 1926. Nadou os 56km da travessia em 14h31min. Seu recorde manteve-se por 24 anos, sendo quebrado em 1950 por Florence Chadwick que fez a travessia em 13 horas e 20 minutos. Integrou a equipe olímpica de natação dos United State nos jogos de Paris em 1924 e ganhou uma medalha de ouro e duas de bronze em cinco provas disputadas para mulheres. Em 1933 sofreu uma queda e parou de treinar, sendo esquecida. Em 1965 foi convidada para integrar o ‘International Swimming Hall of Fame’. Morreu aos 98 anos de causa não divulgada em Nova Jersey, nos Estados Unidos em 30/11/2003 aos 91 anos.




Hortência Marcari – jogadora de basquete nascida em Campinas (SP), em 23/10/1959, Hortência Maria de Fátima Marcari recebeu medalhas de ouro pela seleção de basquete no Pan-Americano de Cuba em 1991, pelo Campeonato Mundial de Basquete Feminino da Austrália em 1994, e medalha de prata na Olimpíada de Atlanta em 1996. Em abril de 2001 foi a primeira atleta brasileira a entrar apara o hall da Fama do Basquete Feminino. Em 1990 bateu o recorde mundial com 121 cestas numa só partida. Em 1994 ganhou o prêmio de melhor lateral do mundo. Conhecida como a 'Rainha do Basquete', aos 36 anos anunciou o fim da carreira por causa da gravidez. Foi casada com o empresário José Victor Oliva, com quem tem 2 filhos. Atualmente dirige a equipe do Paraná e mantém um projeto beneficente para 2.500 crianças.




Inge de Bruijin – Nadadora nascida na Holanda em 24/081973, ganhou 6 recordes mundiais: 50 e 100 metros livres, 50 e 100 metros borboleta. Foi a primeira mulher a nadar os 100 metros borboleta em menos de 57 segundos. Começou a carreira em 1997 quando iniciou os treinos com o americano Paul Bergen. Antes participou das Olimpíadas de Barcelona e sequer chegou em 7º lugar. Já defendeu o Vasco da Gama e o Flamengo do Rio de Janeiro no Troféu Brasil. Nas Olimpíadas de Atlanta quase desistiu da prova por estar cansada e só voltou à piscina depois de assistir pela TV, o erro que cometeria.







Ingrid Kristiansen – Atleta nascida na Noruega em 21/03/1956, bateu os recordes dos 5.000 metros, 10.000 metros e da maratona. Foi a única a conquistar títulos mundiais em pista, estrada e cross-country. Em 1985 venceu a maratona em Londres com 2h21m06s estabelecendo um recorde que dura até hoje. Em 1986 conquistou 2 recordes mundiais de 14m37s33 para os 5.00 m e de 30m13s74 para os 10.000m. Nunca ganhou uma medalha olímpica. Começou a correr a maratona em 1977.






Janet Evans – Nadadora nascida em 28/08/1971, Janet Elizabeth Evans, participou de três olimpíadas e conquistou quatro medalhas de ouro e uma de prata; Integrou a equipe olímpica americana em Seul (88), Barcelona (92) e Atlanta (96). Em 1986 ganhou seus primeiros três títulos no Aberto dos Estados Unidos, nos 400, 800 e 400 metros medley individual. Atualmente detém os recordes olímpicos de 400 (4'03"85) e dos 800 (8'20"20) metros livres, ambos alcançados em Seul, 1986. Também possui o recorde mundial de 400m livres conquistado em Seul. Possui seis recordes americanos, nos 400m, 800m e 1500m e jardas. Começou a nadar com 17 anos. Foi escolhida a melhor de seu país em 1987, título que dividiu com Matt Biondi por anos consecutivos. Abandonou a carreira na década de 90.




Jeannie Longo-Ciprelli - Ciclista nascida na França em 31/10/1958, conquistou treze campeonatos mundiais somando provas em estrada e pista. Em 1988, quebrou o pulso durante a preparação para as Olimpíadas de Seul, ficando com o 21º lugar. Em 1989, aos 31 anos, decidiu encerrar a carreira. Aos 38 anos conquistou sua primeira medalha de ouro olímpica. Dias depois levou a prata. Ganhou medalha de bronze nos jogos de Sydney em 2000.






Kathleen McKane - Tenista nascida em 07/05/1896, foi campeã em Wimbledon. Morreu em 19/06/1992











Katrin Krabbe – Corredora nascida na Alemanha em 22/11/1969, foi campeã mundial dos 100 e 200m rasos, em 1992. Foi condenada por adulterar amostras de urina durante um treinamento na África do Sul, mas foi anistiada pela Federação Alemã de Atletismo por falta de provas. Tem o apelido de “o anjo louro da unificação alemã”.










Kerri Strug – Ginasta nascida nos Estados Unidos em 19/11/1977, participou das Olimpíadas de Atlanta em 1996, quando quebrou o tornozelo esquerdo após uma aterrissagem desastrada no primeiro salto, mas continuou saltando para ganhar a medalha.Recebeu nota 9,712 e medalha de ouro, numa premiação inédita para a ginástica feminina.









Kornelia Ender – Nadadora nascida em 25/10/1958 em Plauen, Alemanha, foi um fenômeno das piscinas conquistando 8 medalhas olímpicas em Munique e Montreal. "Konny” começou a carreira aos 6 anos e conquistou a primeira medalha olímpica aos 13 anos. Foi a primeira mulher a conquistar quatro medalhas de ouro numa mesma Olimpíada em 1972. Quebrou 29 recordes mundiais e teve 7 títulos mundiais.










Kristin Otto - Nadadora nascida em Postdam em 07/02/1966, ganhou 6 medalhas de ouro, incluindo as duas que ajudou sua equipe vencer no revezamento. Nadando de costas, bateu o recorde olímpico na prova de 100m borboleta em 59 segundos. Recebeu do COI (Comitê Olímpico Internacional) o título de Rainha dos Jogos de 1988. Aproveitou o Campeonato Europeu de 1989 realizado em Bonn, na Alemanha, para despedir-se da natação. É comentarista de um canal esportivo na Rede de TV alemã ZDF.




Larissa Latynina – ginasta nascida na URSS em 27/12/1934, Larissa Semyonovna Latynina foi a que mais ganhou medalhas de ouro olímpicas, sendo ao todo 24 (9 de ouro, 5 de prata, 3 de bronze em 1956 e 1960). Em 1963 sofreu um boicote no evento europeu. Em 1964 foi superada por Vera Caslavska. Perdeu os pais na infância. É casada com um engenheiro naval e por duas vezes interrompeu sua carreira para ter seus dois filhos.









Lis Hartel - campeã de atletismo nascida na Dinamarca em 14/03/1921, ficou paralítica por causa de uma poliomelite, mas continuou competindo. Para subir ao pódio, precisava de ajuda para receber a medalha. Além das duas medalhas de prata olímpicas, foi seis vezes campeã da Dinamarca e duas vezes medalha de ouro nos campeonatos escandinavos. Seu exemplo despertou interesse pelo uso de atividades hípicas como meio terapêutico.








Lúcia Helena de Jesus Gomes – Tricampeã e campeã sul-americana de fisiculturismo nascida no Rio de Janeiro (RJ) teve a carreira interrompida ao se recusar a fazer um teste antidoping para o campeonato mundial da modalidade, em 1996. Sob suspeitas de tomar asteróides, foi suspensa pela Confederação Brasileira de Fisiculturismo e impedida de participar de torneios. Morreu aos 33 anos em 09/1999 de hepatite tóxica provocada pelo consumo excessivo de medicamentos. Seu corpo foi encontrado pelo companheiro, Baby, no chão da cozinha onde ela morava em Copacabana. Em outubro disputaria o título de Mister Rio.




Maria Esther Bueno – Tenista nascida em 10/11/1939 em São Paulo (SP), Maria Esther Adion Bueno ficou conhecida como ‘A Paulistinha’. Aos 13 anos conseguiu seu primeiro título nacional. Em 1957 venceu 8 torneios internacionais. Mas foi em Wembledon, na Inglaterra, que saiu-se uma atleta excepcional. Foi campeã em 1958 (duplas), 1959 (individual) e 1690 (em ambas). No ano seguinte afastou-se das quadras por problemas de saúde. Voltou a jogar em 1964 e obteve nova vitória individual, conquistando o tricampeonato de Winbledon. Foi também tricampeã em Forest Hills, nos Estados Unidos, considerado o segundo campeonato em importância no mundo do tênis. Foi campeã de 589 torneios. Ganhou 170 títulos e disputou 257 troféus. Abandonou a carreira em 1977. Em 1978 foi homenageada com a inclusão de seu nome na galeria do International Tennis Hall of Fame, em Nova Iorque (EUA).


Maria Lenk – Nadadora nascida em São Paulo em 15/01/1915, filha de alemães, Maria Emma Hulda Lenk Zigler foi a primeira mulher brasileira e sul americana a participar de uma Olimpíada, em 1932. Foi também a primeira mulher a nadar borboleta e a primeira atleta do país a baixar os recordes mundiais nos 200m e 400m peito em 1939. E a única brasileira a ser homenageada pela International Swimming Hall of Fame, na Flórida, ao lado de campeões da época, como Johny Weissmuler. Sagrou-se campeã brasileira, sul-americana e mundial de natação. Parou de nadar após 12 anos de dedicação, passando a dar aulas de Educação Física. Foi co-fundadora da Escola de Educação Física e Desporto da Universidade do Brasil, atual Universidade Federal do Rio de Janeiro. Escreveu mais de 10 livros, a maioria sobre esportes. Aos 69, aposentada, decidiu reiniciar a carreira de atleta, conquistando novos títulos para a faixa dos 80 anos. Em 1995 já colecionava 30 medalhas. Começou a nadar aos 10 anos, para curar de uma pneumonia (nadava no rio Tietê, pois na época não existiam clubes de natação). Nunca conquistou uma medalha.




Marita Koch – Atleta nascida em Wismar, Alemanha em 18/02/1957, Marita Koch Meier acumulou 4 recordes mundiais nos 200 metros com um melhor tempo de 21,71 segundos e 7 nos 400 metros. Ganhou o título olímpico em 1980 e num período de 8 anos perdeu apenas duas vezes nos 400 metros. É recordista da prova de 400m/rasos no atletismo, e revezamento 4X200 na RDA em 1980.










Marla Runyan – Atleta nascida na Califórnia (EUA) em 04/01/1969, sofre de uma degeneração da retina conhecida como mal de Stargardt. Em 2000, aos 31 anos, chegou em 3º lugar na prova dos 1.500m nas competições seletivas dos Estados Unidos e garantiu presença em Sydney. Pela primeira vez uma atleta deficiente saiu dos torneios para-olímpicos e para ingressar no pelotão de elite. Tricampeã norte-americana dos 5000m, disputou o Campeonato Mundial de Meia Maratona em Vilamoura, Portugal. Foi ouro em Barcelona-1992 e Atlanta-1996 nos eventos destinados a deficientes visuais. Começou a perder a visão aos 9 anos (enxerga uma mancha escura no centro e imagens embaçadas em volta).





Marlies Gohr - Atleta nascida em 21/03/1958, foi campeã Européia de Atletismo Indoor na modalidade de 60m rasos em 1977, 1978, 1979, 1982 e 1983. Junto com Marita Koch, detém o recorde mundial do revesamento 4X200 em 1:28’15”s na cidade de Jena (RDA) em 09/08/1980. E recordista no revesamento 4X100 em 41’37”s na Austrália em 1985.








Marta Sobral – Atleta nascida em 23/03/1964, filha de uma empregada doméstica, Marta de Souza Sobral atuou na seleção brasileira de basquete como pivô. Foi a primeira brasileira a jogar no basquete profissional dos Estados Unidos, foi campeã sul-americana por 2 anos consecutivos (1983-84), vice-campeã nas Olimpíadas de Atlanta, em 1996 e campeã da Copa América em 1997. De volta ao Brasil passou a integrar o Fluminense a convite de Hortência, dirigente do clube. Foi para os Estados Unidos em 1996. Aos 14 anos abandonou os estudos e aceitou convite para ingressar no Time de basquete do clube Hebraica. Um ano depois foi para o clube Santo André. Em 1991 levou uma cantada do ator Robert de Niro, quando estava no camarote do sambódromo do Rio de Janeiro. No mesmo ano saiu nua na Playboy.




Martina Hingis – Tenista nascida na Suíça em 30/09/1980, é a número 2 do mundo. Aos 18 anos, em 2000, venceu pela terceira vez consecutiva o Aberto da Austrália e derrotou a francesa Amelie Mauresmo por 2 sets a 0. Ganhou 428 mil dólares de prêmio. Venceu pela terceira vez seguida o torneio de duplas, jogando ao lado da russa Anna Kournikova.










Martina Navratilova – Tenista nascida em 18/10/1956 em Praga, Tchecoslováquia, foi criada num subúrbio de Revnice pela mãe e pelo padrasto (o pai se suicidou). Chegou às semifinais do primeiro torneio que participou com 8 anos. Aos 14 ganhou seu primeiro torneio nacional e aos 16 foi a primeira classificada na Tchecoslováquia. Foi para os Estados Unidos durante o Aberto dos Estados Unidos em 1975. Teve 6 vitórias consecutivas em Wimbledon de 1982 a 1987. Foi invicta em 74 partidas em 1982, 1098 partidas em dupla. Bateu o recorde ao conquistar seu nono título em Wimbledon. Em 22 anos de carreira, recebeu 9 títulos em 12 finais em Wimbledon e 20 milhões de dólares em prêmios. Também destacou-se no hóquei e no esqui. Sua vida é contada em sua autobiografia ‘Martina’. No livro ela confessa que é homossexual.


Mary Decker – Fundista nascida em 04/08/1958 na Califórnia (EUA), Mary Teresa Decker chegou às Olimpíadas de Los Angeles em 1984 aos 25 anos como a favorita na prova dos 3.000m. Na metade da corrida, quando já havia cumprido 4 das 7 voltas, tropeçou no pé da sul-africana Zola Budd. Na segunda tentativa de ultrapassagem, novamente esbarrou em Zola, que ao se desequilibrar, levantou uma perna e a atingiu. Acabou na pista, sem poder correr. No final Zola a procurou para se desculpar, mas ela não aceitou. Voltou a competir em 1988, em Seul e em 1996, em Atlanta, aos 38 anos mas não conseguiu a medalha.






Maurren Higa Maggi – Atleta nascida em 25/06/1976 em São Carlos (SP), registrou a melhor marca do salto em distância ao atingir 7,26m. Em 2000 participou das Olimpíadas de Sydney, sendo a 25º colocada no salto em distância. Em 1999, recebeu medalha de ouro no Pan-Americano de Winnipeg. É record sul-americano do salto em distância e dos 100 m com barreiras.







Micheline Ostermeyer – Ex-professora de piano e atleta nascida na França em 23/12/1922, recebeu duas medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos de Londres em 1948, nos arremessos de disco e de peso, e medalha de bronze no salto em altura. É a única atleta francesa a ter conquistado 3 medalhas numa única edição dos Jogos Olímpicos. Ao lado de Fanny Blanders-Koen, foi a única pessoa a vencer duas vezes nas pistas de Wembley. Morreu em 18/10/2001 aos 78 anos.






Mildred Babe Didriksen Zaharias - Atleta nascida em Port Arthur, Texas, Estados Unidos em 26/06/1911, participou das Olimpíadas de 1932, recebendo duas medalhas. Praticava natação, basquete, beisebol, corrida, e golfe. Morreu em 1956.












Mônica Seles – Tenista nascida em 02/12/1973 na Sérvia, Iugoslávia, aos 16 anos conquistou o título de Roland Garros e aos 19 já era tricampeã do Aberto da França. Venceu dois anos consecutivos, os Abertos da Austrália e dos Estados Unidos. Em 1993 foi apunhalada pelas costas por um torcedor fanático de Steff Graff durante uma partida no Torneio de Tênis de Hamburgo, na Alemanha. Levou 27 meses para recuperar-se do trauma e quando voltou, derrotou Martina Navratilova em menos de uma hora.







Nádia Comaneci – ginasta romena nascida em 12/11/1961 em Gheorughe, Romênia, em 1976 foi a primeira ginasta olímpica que obteve a nota máxima em 7 das 8 provas da modalidade nos jogos Olímpicos de Montreal. Nas barras assimétricas, recebeu o primeiro 10 da história da ginástica feminina em Olimpíadas. O placar do ginásio de Montreal não estava preparado para mostrar notas acima de 9,99 (só tinha uma casa antes da vírgula) e teve de improvisar com o 1,00. Ganhou 3 medalhas de ouro, uma de prata e 2 de bronze. Em 1980 ganhou mais 2 de ouro em Moscou. No início dos anos 90 burlou a poderosa polícia de seu país e fugiu para o Ocidente, buscando asilo nos Estados Unidos.




Olga Korbut – Ginasta nascida em 16/05/1955 na Rússia, Olga Valentinovna Korbut transformou a ginástica olímpica num esporte para crianças nas Olimpíadas de Munique em 1972. Antes dela a Inglaterra possuía 50 mil crianças que praticavam a ginástica olímpica. Em 8 anos este número atingiu 3 milhões. Recebeu tantas cartas que o correio soviético teve de criar uma estrutura especial apenas para entregá-las em sua casa em Grodno, atual Belarus. Em 1976, já decadente, Korbut capitaneou a equipe soviética. Obteve um ouro por equipes e uma prata na trave, mas foi ofuscada por Nadia Comaneci e Nelli Kim. Casada com o cantor pop, Leonid Bartkevich, tornou-se dona-de-casa e desencorajou o filho Richard a entrar para o esporte.





Paula - Jogadora de basquete nascida em Oswaldo Cruz (SP), Maria Paula Gonçalves Silva, foi considerada a mais poderosa da Seleção Brasileira. Possui um sítio, uma distribuidora de balas e uma griffe de roupas esportivas. Discreta, quase entrou para a política, quando recebeu um convite para concorrer a prefeitura de Campinas.








Stef Graf - Tenista nascida em 14/06/1969 em Bruhl, Stefanie Maria Graf começou a jogar aos 4 anos de idade. Sua primeira vitória num torneio profissional foi em 1986 e a centésima em 06/07/1996, com a sétima vitória na grama de Wimbledon. Em 1985 alcançou a Semifinal do Aberto dos Estados Unidos e transformou-se na terceira do mundo, atrás de Evert e Navratilova. Em 1988 ganhou pela primeira vez em Wimbledon, repetiu o título em Roland Garros e conseguiu os prêmios do Aberto da Austrália e do Aberto dos Estados Unidos, alcançando assim o Grand Slam. Conquistou medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Seul. Um ano depois a espanhola Arantxa Sánchez impediu, com sua vitória em Roland Garros que a Alemanha repetisse o Grand Slam. Seles, Hingis e Jennifer Capriati ameaçaram tirá-la da primeira posição no tênis mundial. Em 1999 ganhou o Roland Garros após derrotar Hingis na final. Viveu uma etapa difícil quando o pai Peter, foi preso na Alemanha por sonegação de impostos. É casada com o tenista Andre Agassi, tem um filho.




Stephanie Read – técnica-assistente do Greenville Groove, equipe que disputa a NDBL (nova liga do desenvolvimento da NBA) nascida nos Estados Unidos, é a primeira mulher a assumir um cargo de treinadora num time masculino que integra os quadros da liga profissional norte-americana.








Suzanne Lenglen – Tenista nascida na França em 24/05/1899, dominou o tênis feminino entre 1919 (sua primeira vitória em Wimbledom) e 1926. No primeiro triunfo em Wembledom, bateu Dorothea Lambert Chambers, mas nas outras finais que disputou nunca deixou as adversárias vencer mais que 5 games. Foi a primeira tenista de destaque a desafiar as normas ao vestir roupas mais curtas e confortáveis. Antes dela as mulheres jogavam de saias longas e corpetes. Morreu em 1938.






Tegla Loroupe – Atleta nascida no Quênia, África, em 09/05/1973, é recordista mundial e campeã das maratonas de Berlim e Nova Iorque. Na infância era proibida pelo pai de correr e estudar. Na época era obrigada a buscar água e catar lenha no meio do mato para a família. Vive na Alemanha e ganha um milhão de dólares por ano. Quando voltou ao Quênia, perdoou o o pai que a procurou e a chamou de valente.







Teresa Edwards – Jogadora de basquete nascida em 19/07/1964 na Geórgia (EUA), foi tricampeã olímpica e bicampeã mundial. Foi escolhida para fazer o juramento de abertura na cerimônia de abertura das Olimpíadas de Atlanta. Disputou 04 olimpíadas e ganhou 03 medalhas de ouro e uma de bronze, recorde inédito no basquete.











Tonya Harding – patinadora nascida em Portland, Oregon, nos Estados Unidos em 12/11/1970, Tonia Maxine Harding arquitetou um plano para aleijar a principal rival, a patinadora Nancy Kerrigan em janeiro de 1994. Ela e o ex-marido contrataram um grupo para quebrar o joelho de Kerrigan quando treinavam para as Olimpíadas de Inverno de Lillehammer na Noruega. Apesar de machucada, Kerrigan obteve a medalha de prata nos jogos, enquanto Tonya ficou na oitava colocação. Banida de competições oficiais e condenada a 3 anos de prisão em regime de liberdade condicional, obteve o segundo lugar no Pro Skating Chanpionships nos Estados Unidos.




Vera Cáslavská - Atleta nascida em 03/05/1942 na Tchecoslováquia, conquistou 7 medalhas de ouro. Partidária dos ideais da Primavera de Praga, assinou o 'Manifesto das 2.000 palavras', uma demonstração de apoio de personalidades à atitude do governo local. Em agosto de 1968, meses antes dos Jogos, tanques soviéticos invadiram Praga e abafaram o movimento. Para não ser presa, escondeu-se nas montanhas. Em setembro recebeu a mensagem de que estava liberada para integrar a equipe olímpica de seu país. Conquistou quatro medalhas de ouro e duas de prata e conquistou o público mexicano ao realizar a rotina no solo ao som de uma música típica do país-sede dos Jogos. De volta à Tchecoslováquia foi perseguida e relegada pelo governo durante 20 anos. No final dos anos 80, com a queda do regime comunista, voltou a ser lembrada e foi levada à presidência do Comitê Olímpico da República Tcheca. É casada com o corredor Josef Odlozil.





Yelena Isinbayeva – Atleta nascida em 03/06/1982, em Volgogrado, na União Soviética, Yelena Gadzhiervna Isinbayeva é ex-saltadora de vara russa, bicampeã olímpica, recordista mundial de 5,06m, obtida em agosto de 2009 em Zurique, seu 16º Record mundial. Foi eleita Atleta Feminina do Ano pelo IAAF três vezes (2004, 2005 e 2008) e atingiu 26 recordes mundiais. Em 2005, tornou-se a primeira saltadora de vara feminina a saltar 5,00 metros. Em Mundiais, a russa conquistou um bronze em Paris-2003 e um ouro em Helsinque-2005; na ocasião, obteve a marca de 5,01 metros. Isinbayeva já bateu 28 vezes o recorde do salto com vara (em provas indoor e outdoor). Vive entre Monte Carlo e Formia, na Itália, desde que mudou de treinador.  Dos cinco aos 15 anos, Isinbayeva treinou ginástica artística mas deixou o esporte por ser considerada muito alta para a modalidade (1,74 m). Em 2013 anunciou que deixaria a carreira por um tempo para ter um filho e três anos depois competiu nos jogos do Rio de Janeiro.




Wilma Rudolph – Corredora nascida no Tennessee, Estados Unidos, em 23/06/1940, ficou conhecida como a “Gazela Negra”, por causa da elegância ao correr. Ganhou 3 medalhas de ouro nos 100 e 200m rasos e no revezamento.na Olimpíada de Roma em 1960. Em 1996 competiu em 4 provas individuais de natação. Até os 9 anos tinha a perna esquerda encapsulada num aparelho ortopédico e até os 11 teve pneumonia dupla, poliomelite e escarlatina. Morreu em 12/11/1994, de câncer.









Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários para os e-mails: carlaolharfeminista@gmail.com ou carlahumberto@yahoo.com.br

Beijos,

Carla Vilaça