NA MÚSICA



Adele - Cantora britânica nascida em Tottenham, Londres, em 05/05/1988, Adele Laurie Blue Adkins MBE é também instrumentista e compositora. Filha de mãe solteira, começou a carreira em 2006, sendo descoberta pela gravadora XL Recordings através de demos musicais postadas em seu perfil na internet. Ganhou vários prêmios, entre eles 10 Grammy, 08 Brit Awards e 01 Golden Globe Award e 01 Oscar, e a primeira a receber o Critcs Choice, tendo sido nomeada  "Artista Revelação", em 2008, pelos críticos da BBC. Em janeiro de 2008 lançou seu disco de estréia 19, e o segundo álbum chamado 21. Recebeu várias menções para o Guinnes World Records por ser a primeira mulher a ter ao mesmo tempo, dois singles e dois álbuns simultaneamente nas paradas britânicas (antes dela apenas os Beatles tinha alcançado esse feito, em 1964). Em 2011 Adele fez cirurgia nas cordas vocálicas, após sofrer hemorragia na garganta e teve que ficar de repouso, mas no ano seguinte voltou a cantar. Em 2013 foi eleita a 15a artista mais sexy da VH1 e a mais rica com menos de 30 anos no Reino Unido, com uma fortuna estimada em 30 milhões de libras esterlinas. Recebeu a condecoração da Rainha Elizabeth como Membro da Ordem do Império Britânico e teve sua estátua de cera exposta no Museu Madame Tussauds, em Londres. Começou a carreira aos quatro anos de idade e antes de ser famosa, trabalhou como garçonete na lanchonete de uma tia. Desde 2011 tem um relacionamento com o empresário Simon Konecki, de uma ONG de limpeza. Os dois têm um filho, Ângelo. A cantora vive sendo alvo de críticas por causa do sobrepeso, e conseguiu emagrecer 30 quilos após uma dieta rigorosa. Feminista declarada, ao ter o filho chegou a cancelar contratos milionários para ter mais tempo com a família. 




Ademilde Fonseca - Cantora brasileira nascida em 04/03/1921 em São Gonçalo do Amarante, no Rio Grande do Norte, Ademilde Ferreira da Fonseca foi considerada a "Rainha do Choro" e começou a carreira após ser aprovada num concurso de calouros na Rádio Clube do Brasil. Foi casada com Naldimar Gideão Delfino (que lhe emprestou o sobrenome que a tornou famosa), que a levou para o Rio de Janeiro em 1941. Durante dez anos trabalhou na TV Tupi e chegou a vender meio milhão de cópias de discos, no Brasil e no exterior. Seu sucesso mais famoso é "Tico tico no Fubá". Desde 1997 fazia parte do conjunto "As Eternas Cantoras do Rádio". Morreu em 27/01/2012 no Rio de Janeiro, aos 91 anos. Foi sepultada no cemitério São João Batista. Em Pirituba (RN), há uma praça com seu nome.Em 1952 cantou em paris numa festa dada por Assis Chateaubriand, e 1984, em Nova Iorque (EUA), abriu o carnaval Brasileiro.






Alcione - Cantora brasileira nascida no Maranhão em 21/11/1947, filha de um policial e uma dona-de-casa, Alcione Dias Nazareth começou a carreira aos 12 anos de idade, se apresentando na banda da polícia militar, ao lado do pai, que era também professor de música. Formada em Magistério, chegou a lecionar por dois anos, quando foi demitida por ensinar as crianças a tocar trompete. Alcione tem nove irmãos e outros nove por parte de pai, que a mãe amamentou, por acreditar que as crianças não tinham culpa pelas traições do marido. Sem trabalho, começou a cantar em bares, nas décadas de 60 e 70 e em 1976 foi para o Rio de Janeiro, onde começou a fazer sucesso, depois de participar de programas de auditório e de calouros. Chegou a morar na Europa por dois anos. Em 2007 participou do seriado Amazônia, interpretando a cantora americana Lady Brown. Nunca se casou mas tentou diversos tratamentos para engravidar, sem sucesso. 






Amy Winehouse - Cantora e compositora nascida em Londres em 14/1983, numa família de músicos, Amy Jade Winehouse era filha de um músico amador, motorista de táxi, e de uma farmacêutica, começou a carreira na adolescência, apresentando-se em pequenos clubes e bares, e e alcançou o sucesso rapidamente por causa da voz, comparada às divas do jazz. Seu primeiro contrato com uma gravadora foi em 2002, mas ficou conhecida internacionalmente em 2066, quando vendeu seis milhões de discos em todo o mundo. Em 2008 venceu a 50a edição do Grammy Awards, ano em que foi eleita a "heroína suprema" dos britânicos pela Sky News e foi incluída na lista "Personalidades Mais Influentes da Música, pelo periódico TH. Em sua carreira vendeu mais de 40 milhões de álbuns em todo o mundo. Ficou conhecida ainda pela maquiagem carregada nos olhos e pelo topete nos cabelos pretos, que imitava os penteados da atriz francesa Brigitte Bardot. Sua rebeldia teria fundamento nas traições do pai, que não escondia os casos amorosos, e sofria de transtornos alimentares, que provocou sua magreza exagerada. Viciada em bebida e outras substâncias, ela chegou a se apresentar bêbada em programas de TV. Amy teve um casamento conturbado com Blake Fielder-Civil. Antes da fama chegou a trabalhar como jornalista num jornal. Morreu sozinha, em 23/07/2011, aos 27 anos, em sua casa, em Ibid, de overdose de bebida alcoólica, após longa abstinência. Após sua morte, seu disco "Black to Black" foi o mais vendido do século 21 no Reino Unido. Em 2012 ela entrou para a lista das "Cem Grandes Mulheres na Música", do VH1, ficando em 26o lugar. Em Canden Town, Londres, há uma estátua em sua homenagem, em tamanho real.






Araci de Almeida - Cantora nascida no Rio de Janeiro, em 19/08/1914, Aracy Teles de Almeida foi musa do cantor Noel Rosa e ficou conhecida como a "Dama da Central (do Brasil)", a "Dama do Encantado" (nome do bairro onde ela morava no Rio de Janeiro" e "O Samba em Pessoa". Filha de um funcionário da Central do Brasil e de uma dona-de-casa, teve dois irmãos e foi criada num subúrbio carioca. Começou a carreira escondido dos pais, cantando em igrejas, candomblés e em blocos de carnaval e gravou seu primeiro disco em 1934, a convite de um amigo famoso (ela tinha muitos, já que cantava em rodas de samba na noite carioca). Foi uma das maiores cantoras brasileiras dos anos 30, ao lado de Carmem Miranda. Culta, adorava música erudita e muita leitura, além de apreciar quadros de pintores famosos. Em 1950 mudou-se para São Paulo, onde trabalhou como jurada do programa de calouros do apresentador Sílvio Santos durante muitos anos, e outros também de calouros, até morrer em 20/06/1988, de edema pulmonar, após dois meses em coma (na época ela voltou à lucidez por dois dias e morreu em seguida). Seu corpo foi velado no teatro João Caetano, onde fez seu seu último show. O túmulo no Jardim da Saudade foi uma doação (no hospital ela havia recebido ajuda financeira do apresentador Sílvio Santos). Seu corpo percorreu as ruas do Rio de Janeiro nos bairros onde ela viveu. Embora tenha tido muitos namorados, não casou e não quis ter filhos.










 Barbra Streissand - Cantora e compositora, nascida em Nova Iorque em 24/04/1942, Barbra Joan Streisand é também atriz, produtora e diretora de cinema, vencedora de 2 Oscar, tendo sido indicada a outras 03 estatuetas. Vendeu mais de 71,5 milhões de CDs nos Estados Unidos e 140 milhões de álbuns em todo o mundo, sendo uma das poucas estrelas do show business a conquistar prêmios em diversas áreas da arte. Foi a primeira mulher a simultaneamente produzir, dirigir, escrever e atuar em um filme ("Yentl", de 1983). Começou a carreira em 1962 com a peça da Broadway "I Can get it For you Wholesale". Seu primeiro disco, "The Barbra Streisand Album", foi lançado em 1963 e a premiou com dois Grammy. Estreou no cine em 1968, com o musical "Funny Girl", que lhe rendeu o Oscar de melhor atriz. Foi indicada também pelo filme "Nosso Amor de Ontem" em 1973. Também ganhou o Oscar de melhor canção pelo filme "Nasce uma Estrela" em 1976. Em 1964, casou-se com o ator Elliot Gouldy com quem teve seu único filho, Jason. Divorciada, Barbra teve vários romances, até se casar novamente, em 1998, com o ator e diretor James Brolin. Seu filme mais famoso foi “O Príncipe das Marés”, em que atuou e dirigiu (seu filho na vida real foi também seu filho no filme).





Carmem Costa - Cantora e compositora nascida em Trajano de Moraes (RJ), em 05/06/1920, Carmelita Madriaga era empregada do cantor Francisco Alves e aos 15 anos, numa festa em sua casa, ele pediu que cantasse para os convidados e foi incentivada por eles a seguir a carreira musical. Começou a fazer sucesso após uma apresentação como caloura no programa de Ary Barroso, saindo-se vencedora, nos anos 40. Cinco anos depois casou-se com o norte-americando Hans Van Koehler e foi morar com ele nos Estados Unidos. Separada, voltou ao Brasil nos anos 50 e conheceu o compositor Mirabeaul Pinheiro, com quem se casou e teve sua única filha, Silésia. Juntos, fizeram sucesso com a música "Cachaça não é água", tendo sido acusados de plágio, mas sua canção mais famosa é a versão "Está chegando a Hora". Participou de alguns filmes como "Prá Lá de Boa" de 1949, "Carnaval em Marte" de 1955 e "Vou te Contá" de 1958. Sua última gravação musical foi com o cantor Elymar Santos, em que era convidada para participar em alguns shows dele. Em 2003 ela foi "tombada" como patrimônio cultural do Brasil, pela Câmara Municipal do Rio de Janeiro, ocasião em que compôs a música "Tombamento", que cantou ao lado de Gilberto Gil, que era ministro da Cultura. Morreu em 25/04/2007 no Rio de Janeiro, aos 86 anos, de parada cardíaca, no hospital Lourenço Jorge, após alguns dias internada.





Carmem MirandaCantora nascida em Várzea da Ovelha, Marco de Canaveses, Portugal em 09/02/1909, Maria do Carmo Miranda da Cunha fez fama internacional nos anos 30 e foi considerada pela revista Rolling Stone como a 15a maior voz da música brasileira. O nome Carmem foi dado por um tio dela que adorava óperas (Carmem é o nome de uma ópera). Seu primeiro sucesso foi com a música "Ta-hí", em 1930, que vendeu 36 mil cópias em seis meses e a fez a cantora mais famosa do Brasil na época. No ano seguinte ela fez sua primeiro turnê internacional, na Argentina. Logo foi para Hollywood onde atuou em filmes como cantora/atriz, como no filme "Banana da Terra" e "Serenata Tropical" e chegou a receber o maior salário pago a uma mulher americana, numa fortuna estimada em dois milhões de dólares, o que era muito para a época. Fez um total de 14 filmes nos Estados Unidos entre 1940 a 1953. Já no Brasil, foi a primeira artista de rádio a assinar contrato com uma emissora, já que até então os artistas recebiam apenas cachês por shows. Também foi artista do Cassino da Urca. Sua popularidade diminuiu até a Segunda Guerra Mundial. Foi ainda a primeira artista latino-americana a ser convidada a imprimir as mãos e pés no pátio do Grauman's Chinese Theatre em 1941, e a primeira sul-americana a ser homenageada com uma estrela na Calçada da Fama. Seu jeito peculiar até hoje é copiado no mundo todo, sendo sua marca os turbantes com frutas que usava na cabeça, os inúmeros acessórios, as sandálias plataforma que antes dela eram usadas apenas por deficientes e que nos pés da cantora viraram um sucesso (um sapateiro da época foi convencido por ela a colocar saltos maiores em todas as sandálias, o que ele contestou:"Mas, dona Carmem, esse tipo de sapato é usado por quem tem uma perna menor do que a outra". E ela ordenou: "Faz aí, fulano"). Em 20 anos de carreira gravou mais de 300 canções. No Brasil, no Rio de Janeiro, foi construído um museu em sua homenagem.Sua vida é contada no documentário "Banana is my Business", de Helena Solberg. Em Portugal há um museu com seu nome. Antes da fama, Carmem e a família moraram em sobrados de São Paulo e sua mãe chegou a abrir uma pensão que servia refeições aos empregados do comércio, para ajudar no orçamento doméstico. Namorou com  Arturo de Córdova, os americanos John Payne, Dana Andrews, Harold Young e Donald Buka, com o brasileiro Carlos Nyemeyer, na época piloto da Força Aérea Brasileira e foi casada com o produtor americano David Sebastian. Não teve filhos, apesar do desejo de engravidar, e sofreu de depressão após sofrer um aborto espontâneo.Morreu de parada cardíaca aos 46 anos, em Los Angeles, Estados Unidos em 05/08/1955 (seu corpo foi encontrado no corredor de sua casa no dia seguinte). Seu corpo foi trazido de avião ao Brasil e o cortejo correu as ruas do Rio de Janeiro. Era irmã da cantora Aurora Miranda e tinha mais dois irmãos. 







Cássia Eller -Cantora e violonista nascida no Rio de Janeiro em 10/12/1962, filha de um sargento pára-quedista do Exército e de uma dona-de-casa, Cássia Rejane Eller começou a fazer sucesso em 1981, quando participou de um espetáculo com Oswaldo Montenegro. mas antes trabalhou em corais, foi corista em óperas e se apresentou como cantora num grupo de forró, além de cantar em rodas de samba e bares. Para sobreviver em Belo Horizonte, trabalhou ainda como servente de pedreiro. Seu nome foi dado pela avó, devota de Santa Rita. Aos seis anos mudou-se com a família para Belo Horizonte (MG) e voltou ao Rio de Janeiro, aos 12 anos. Começou a gostar de música aos 14 anos quando ganhou de presente um violão. Não terminou o Ensino Médio por causa dos shows que fazia. Teve doze anos de carreira. Teve um único filho com um músico que morreu de acidente automobilístico dias antes da criança nascer. Homossexual, o menino, Francisco passou a ser criado pela namorada dela, Maria Eugênia Vieira Martins. Apaixonada pelo Atlético Mineiro, chegou a ser homenageada pelo clube com o troféu "Galo de Prata"  seus instrumentos musicais eram enfeitados por ela com o escudo do time. Morreu em 29/12/2001, aos 39 anos, de um infarto repentino, que gerou especulações na época de que teria tido uma crise pelo uso de cocaína, o que foi descartado tempos depois por perícia médica.




Celine Dion - Cantora e compositora canadense nascida em 30/03/1968 em Charlemagne, Quebec, filha de uma dona-de-casa e de um açougueiro, Céline Marie Claudette, começou a carreira na infância, mas fez sucesso em 1980, quando conheceu (e se casou futuramente) com o empresário René Angélil, 26 anos mais velho do que ela. Já sem dinheiro, recém-divorciado, ele hipotecou a própria casa para custear a gravação de Céline. Ele também cuidou da imagem da cantora e dos dentes dela, que eram encavalados. Os dois se apaixonaram e se casaram alguns anos mais tarde, e em seguida descobriram que ele estava com câncer (René morreu em 2016, vítima da doença, aos 73 anos), mas resolveram fazer inseminação artificial e tiveram um filho. Em 2002 ela retomou a carreira e assinou um contrato de três anos no Coliseu no Caesars Palace, Nevada. Céline canta em várias línguas e ganhou cinco Grammy Awards, sendo a segunda artista feminina que mais vendeu discos nos Estados Unidos durante a era Nielsen Sound Scan. Em 1983, ela se tornou a primeira artista canadense a receber um disco de ouro na França pela música "D'amour ou d'amitié" e ganhou diversos Félix Awards, incluindo "Melhor Performance Feminina" e "Descoberta do Ano". Em 1989, durante uma apresentação na Céline perdeu a sua voz e se recuperou após três meses de silêncio absoluto. Em 1991, Dion foi uma das solista no álbum "Voices That Care", uma homenagem às tropas americanas que lutaram na Operação Tempestade no Deserto". Tinha 13 irmãos (um deles morreu de câncer, alguns dias depois do marido da cantora). Seu nome é derivado da música "Céline" do cantor francês Hugues Aufray, gravada dois anos antes de seu nascimento. Seu maior sucesso veio com a música tema do filme "Titanic", de 1997. No dia 22 de maio de 2016, foi premiada pela revista Billboard, tendo recebido o prêmio do filho de 15 anos, causando emoção na platéia. Céline tem mais dois filhos gêmeos, que nasceram em 2010.






Cely Campello - Cantora paulista nascida em 18/06/1942, em Taubaté, São Paulo, Célia Benelli Campello, foi precursora do rock no Brasil, sendo a sua música mais famosa "Estúpido Cupido", tema da novela do mesmo nome, em que ela participou interpretando a si mesma em 1977. Seu primeiro disco foi lançado em 1958, quando ela tinha 15 anos e lançou moda com os cabelos curtos lambuzados de laquê. Apesar do sucesso, deixou a carreira aos 20 anos, em 1962, para se casar com seu primeiro namorado, o contador da Petrobrás, Eduardo, e disse numa entrevista que jamais se arrependeu. Ela recusou todos os convites para voltar a gravar discos e até mesmo a estrelar o programa "Jovem Guarda", posto que foi ocupado pela cantora Wanderléia, nos anos 70. Depois de casada, passou a assinar Célia Campello Gomes Chacon. Começou a carreira na infância, participando de programas infantis de TV e programas de auditório, sendo que aos 12 anos já tinha seu programa na Rádio Cacique. Também participou como atriz no filme "Jeca Tatu", de Mazzaroppi. Recebeu muitos prêmios no Brasil e no exterior, ficando conhecida como "A Rainha do Rock Brasileiro". Teve dois filhos, Eduardo e Cristiane, e dois netos. Celly morreu de câncer de mama, aos 60 anos, em 04/03/2003, no hospital Samaritano de Campinas (SP), onde vivia.  






CherCantora e atriz nascida em 20/05/1946 El Centro, Califórnia, Estados Unidos, Cherilyn Sarkisian, filha de um caminhoneiro e de uma atriz e modelo estrangeira, ficou conhecida como a "Deusa do Pop", tendo iniciado a carreira em 1965 ao lado do marido, o cantor Sonny Bono, com a dupla Sonny e Cher, e venderam cem milhões de discos. Nos anos 80 estreou na Broadway e recebeu indicação ao Oscar pelo filme "Skilwood, o Retrato de uma Coragem". Nos anos 90 estreou como produtora no filme "O Preço de Uma Escolha", em que sua canção "Believe" se tornou a mais famosa de sua carreira. Em 2000 ela assinou um contrato milionário para se apresentar  por três anos no Caesars Palace, em Los Angeles. Foi a primeira artista a receber um Oscar, Um Emmy e um Grammy, três Globos de Ouro e o prêmio de melhor atriz coadjuvante em Cannes. É a única artista a ficar no primeiro lugar das paradas de sucesso da Billboard em muitas décadas. Em 1975 teve um programa de TV "Sonny and Cher Show". Em seguida sua carreira começou a declinar mas ela voltou a fazer sucesso a partir de 1980. Os pais se separaram quando ela tinha dez meses e a mãe namorava muito e por isso, ela e a irmã saíram de casa alguma vezes e Cher chegou a morar num orfanato, até que em 1961 a mãe de Cher casou-se com um banqueiro e a vida delas melhorou. Na juventude, namorou o ator Watten Beaty. Tem uma filha. Sua maneira de se comportar e de vestir, a voz grave e as campanhas em favor da mulher, de causas humanitárias e campanhas sociais, a fazem uma personalidade muito conhecida em todo o mundo. Entre seus filmes estão "Feitiço da Lua", "The Player" e "Prét-a-Porter". Em 1992, por motivos de saúde, passou um tempo reclusa, mas voltou a fazer sucesso. Sua vida é contada na autobiografia "The First Time". É conhecida como a primeira mulher a mostrar o umbigo na TV americana. É política, engajada, do partido Democrata.





Chiquinha Gonzaga - Compositora e maestrina nascida no Rio de Janeiro, em17/10/1847, Francisca Edwiges Neves Gonzaga era filha de um general do Exército e de uma negra de origem humilde. Desde criança gostava de participar de rodas de música e foi aluna do maestro Lobo, famoso na época. A carreira de compositora começou aos onze anos. É dela a música "Ó Abre Alas que eu Quero Passar", feita para o Carnaval carioca no início do século XX, sendo a primeira compositora carnavalesca, em 1899. Foi  a primeira pianista de choro do Brasil e para homenageá-la, o escultor Honório Peçanha fez para ela uma obra que pode ser vista no Passeio Público do Rio de Janeiro, e em 2012, no dia de seu aniversário, foi instituído o Dia Nacional da Música Popular Brasilera. Sua vida profissional e pessoal foi marcada por paixões. Namorou muito e se casou várias vezes, sendo a primeira aos 16 anos, por ordem do pai, e a última com um adolescente que ficou ao lado dela até sua morte (quando se conheceram ela tinha 52 anos e ele, 16 e por isso, fingia que era seu filho). O romance entre os dois só foi descoberto após a morte dela, através das cartas de amor que trocavam. Ao se separar do marido, foi humilhada pela família e pela sociedade e impedida de criar os três filhos. Para sobreviver, e cuidar do filho João Gualberto, começou a compor músicas e a tocar em festas. Seu pai, insatisfeito, ficou sem conversar com ela mas ao recebê-la, pediu que ela "nunca fosse hipócrita". Mas, seu grande amor foi o jornalista João Batista, que a traía com outras mulheres. Foi grande amiga de Nair de Tefé, primeira-dama do país, que também era feminista como ela, e essa amizade permite que Chiquinha frequente saraus no Palácio do Catete, permitindo assim que o maxixe, então proibido pela polícia, passe a ser dançado pelos políticos e por representantes da alta sociedade. Chiquinha participou ativamente da campanha abolicionista e pelo fim da monarquia. Sua vida foi contada em livros e no seriado Chiquinha Gonzaga, na TV Globo em 1997. Ela foi homenageada pela Mangueira no carnaval de 1985 no Rio de Janeiro. Morreu aos 87 anos, em 28/02/1935, nos braços do marido.




Clara Nunes - Cantora brasileira nascida em Paraopeba (MG) em 12/08/1942, Clara Francisca Gonçalves de Araújo trabalhou numa fábrica de tecidos em Belo Horizonte (MG), antes de ser famosa. Considerada uma das maiores intérpretes de samba do País, começou a carreira cantando boleros e fez sucesso também internacionalmente, tendo sido uma das primeiras cantoras a vender mais de cem mil cópias de discos. Foi descoberta em 1960 ao vencer o concurso "A Voz de Ouro ABC", com a música "Serenata do Adeus" e foi apresentada a cantores famosos, por Aurino Araújo (irmão do cantor Eduardo Araújo), com quem ela namorou por dez anos. Durante três anos foi considerada a melhor cantora de Minas Gerais e passou a se apresentar como crooner em clubes e boates da capital mineira, chegando a trabalhar com o cantor Milton Nascimento. Em 1963 ganhou um programa na TV Itacolomi chamado "Clara Nunes Apresenta", que ficou no ar por um ano e meio. Dois anos depois mudou-se para o Rio de Janeiro, no bairro Copacabana. Depois de casada acrescentou o sobrenome Pinheiro. Em 1969 ganhou o primeiro lugar no Primeiro Festival da Canção Jovem de Três Rios com a música "Pra Quê Obedecer". No ano seguinte se apresentou em Luanda, na África, e a partir daí passou a se vestir com roupas em estilo africano (na capa de seu disco ela aparece com os cabelos vermelhos). Em 1974 integrou a comissão que representou o Brasil no Festival do Midem, em Cannes, mesmo ano em que ela atuou como atriz na peça sobre Dolores Duran. Em 1975 casou-se com o compositor e poeta Paulo César Pinheiro e em 1979 retirou o útero após sofrer três abortos espontâneos por causa dos miomas (a dificuldade de engravidar a deixava triste). Em 1982 lançou seu último disco "Nação". Morreu aos 41 anos, em 02/04/1983, no Rio de Janeiro, após complicações de uma cirurgia de varizes (ela teve reações alérgicas à anestesia e ficou na UTI por 28 dias). Na época, artistas de todo o Brasil e fãs rezavam e fizeram vigília em frente à Clínica São Vicente, no Rio de Janeiro, onde ela estava internada. Seu corpo foi velado na escola de Samba Portela, que ela adorava e enterrado no Cemitério São João Batista, no Rio de Janeiro. Em Belo Horizonte, a rua da fábrica onde ela trabalhou passou a ter o seu nome. No Rio, a rua Arruda Câmara, onde fica a Portela, também foi trocada por rua Clara Nunes. Em Caetanópolis, sua irmã mais velha, Maria Gonçalves, criou um museu com objetos de Clara Nunes, anexado à creche que leva seu nome. Em 2001 Eduardo Granja Coutinho lançou o livro "Velhas Histórias, Memórias Futuras", em que faz referências diversas à cantora. Em 2006 a prefeitura de Caetanópolis lançou o Primeiro Festival Cultural Clara Nunes, e no ano seguinte, lançou a Casa de Cultura clara Nunes. Um documento confidencial de 1971 do Centro de Informações do Exército menciona a cantora como colaboradora da Ditadura Militar no ano de 1964, apesar de ela jamais ter engajado politicamente.






Clementina de Jesus - Sambista brasileira nascida em 07/02/1901 em Valença RJ), Clementina de Jesus da Silva é considerada a "Rainha do Partido Alto", "Rainha Ginga" e "Quelé". Mudou-se com a família para a capital carioca aos oito anos de idade, morando no bairro Oswaldo Cruz, de onde acompanhou de perto o surgimento da escola de Samba Portela. Em 1940 casou-se e mudou de escola para a Mangueira. Antes de ser famosa trabalhou como doméstica por mais de 20 anos, até ser descoberta, aos 63 anos, pelo compositor Hermínio Bello de Carvalho, em 1963, que a levou para participar do show "Rosa de Ouro". Muito devota, participou de cantorias em festas das igrejas da Penha e de São Jorge, tendo gravado músicas afro-brasileiras. Em 1983 foi homenageada num espetáculo no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Morreu no Rio de Janeiro em 19/07/1987.

  

Dalva de OliveiraCantora brasileira nascida em Rio Claro em 05/05/1917, filha de um carpinteiro e de uma dona-de-casa, Vicentina de Paula Oliveira  foi considerada, pela revista Rolling Stone, como a 32a maior voz da música brasileira de todos os tempos. Sua carreira começou. Foi considerada ainda como a "Cantora da voz de Rouxinol". Em 1935 conheceu o compositor Herivelto Martins, e com ele criou o "Trio de Ouro", ao lado de Francisco Sena. Em 1939 deixou o trio e passou a cantar sozinha. No ano seguinte, ela e Herivelto passaram a viver juntos e só oficializaram o casamento em 1937. Tiveram dois filhos: o cantor Peri Ribeiro e Ubiratan Oliveira Martins. A união durou até 1947, quando se separaram depois de muitas brigas por ciúmes da parte dela. Herivelto, junto com o jornalista David Nasser, fizeram matérias que denegriam a cantora, no jornal Diário da Noite e fizeram com que o Conselho Tutelar colocassem os dois filhos do casal no internato, alegando que Dalva tinha condutas imorais, o que a levou a depressão. Os meninos só saíram de lá aos 18 anos e viram os pais poucas vezes em visitas agendadas nos finais de semana. A separação aconteceu oficialmente em 1949. Ela e Herivelto também trocavam farpas em suas músicas: quando um gravava, o outro usava a música para atacar também. Em 1952, recebeu o título de Rainha do Rádio e numa turnê pela Argentina, conheceu Tito Clemente, com quem se casou e algum tempo depois adotaram uma menina, Dalva Lúcia Oliveira Clemente, num orfanato de Buenos Aires. Nos anos 60 se separaram por ciúmes dele, que queria que a cantora diminuísse os shows para ficar em casa. Ele pede a guarda da criança e por conta do processo, Dalva passa a morar em Buenos Aires. Usando o mesmo método de Herivelto, o ex-marido da cantora consegue a guarda da menina e ela volta ao Brasil, sozinha. Ela via as crianças apenas nas férias, quando cancelava os shows para ficar com os três em sua mansão. Nunca mais se casou, apenas teve relacionamentos curtos de uma noite ou alguns meses, até que conheceu um rapaz vinte anos mais novo, Manuel Nuno Carpinteiro, e ao assumir o namoro, fui duramente criticada e alvo de preconceitos. Em 1965 os dois sofreram um acidente de carro, em que ela dirigia, causando o atropelamento de quatro pessoas que estavam na calçada, o que prejudicou sua carreira, já que os dois estavam bêbados. Manoel assumiu que estava ao volante e foi preso e mais uma vez ela causou escândalo ao visitá-lo na prisão, já que na época isso era considerado atos de prostitutas. Assim que saiu da prisão, os dois se casaram oficialmente com direito a grande festa na mansão de Dalva. Sua voz ia do contralto ao soprano. Em 1951 participou dos filmes "Maria da Praia" e "Milagre de Amor". Ela também dublou as falas da Branca de Neve no desenho animado da Disney. Ao todo ela gravou mais de 400 músicas. Morreu em 31/08/1972, vítima de hemorragia causada por um câncer de estômago. Pediu à grande amiga, Dora Lopes, que a maquiasse para que todos pudessem vê-la em seu último dia de vida. Seu corpo está enterrado no Cemitério Jardim da Saudade, no Rio de Janeiro. Em 1974 foi homenageada pela escola de samba Acadêmicos de Santa Cruz com o enredo "O Rouxinol da Canção Brasileira" e em 1976 foi homenageada pela escola de samba Turunas do Riachuelo, em Juiz de Fora (MG). Em 1987 recebeu homenagem da escola de samba Imperatriz Leopoldinense com o enredo "Estrela Dalva". Sua vida é contada no seriado "Dalva e Herivelto", de 2010, pela Rede Globo. Em Rio Claro a praça principal se chama Dalva de Oliveira. As filhas Dalva e Margarida estiveram ao lado da cantora quando ela entrou em coma. 






Dircinha Batista -Cantora e atriz brasileira nascida 07/04/1922 no Rio de Janeiro, Dirce Grandino de Oliveira, irmã da cantora Linda Batista, fez muito sucesso principalmente com músicas carnavalescas, em 40 anos de carreira, tendo gravado mais de 300 discos. Começou a carreira ainda na infância, apresentando-se em festivais aos seis anos de idade, ao lado do pai em shows pelos Rio e em São Paulo. Junto com a irmã, foram homenageadas pelo então presidente do país, Getúlio Vargas, como "patrimônio nacional". Gravou seu primeiro disco em 1930, aos oito anos de idade. Chegou a participar dos filmes "Alô, Alô, Brasil", "Alô, Alô, Carnaval", "Futebol em Família", "Banana da Terra e "Bombonzinho". Ficou conhecida ao ser apresentada por Francisco Alves no programa da Rádio Cajuti como "A menina da garganta de Pássaro". Foi eleita, em 1958, como "Rainha do Rádio". Em 1939 venceu o concurso do jornal O Globo como a cantora preferida da capital federal, que na época era o Rio de Janeiro. Em 1952 apresentou o programa "Recepção" no Rádio Clube, dedicado a compositores populares brasileiro, que lhe rendeu uma placa de prata da SBACEM e um troféu pela UBC. Em 1953 atuou como atriz no teatro. Nos anos 60 começou a sofrer de depressão, ainda no auge da carreira, internando-se em clínicas e sanatórios e em 1970, abalada com a morte da mãe, parou de cantar. Dez anos depois conheceu o cantor José Ricardo que a amparou, acolhendo ainda suas irmãs Odete e Linda, como membros da família. Em 1990 a vida das cantoras é contada no musical "Somos Irmãs", com Nicette Bruno e Suely Franco. Nunca se casou e não teve filhos. Em 1974 trancou-se no apartamento em Copacabana, saindo de lá apenas para se tratar na Casa de Saúde Dr. Eiras e no Centro Gerontológico Mercedes Miranda. Morreu em 18/06/1999, no Rio de Janeiro, de parada cardíaca, aos 77 anos, no hospital São Lucas. Seu corpo está enterrado no cemitério São João Batista.




Ella Fitzgerald - Cantora jazz nascida em 27/04/1917, em Newport News, Virgínia, EUA, teve uma infância difícil com a separação dos pais e com a morte da mãe, de infarto. Estreou na carreira aos 17 anos, em 1934, quando deixou os estudos. Para sobreviver, chegou a trabalhar num bordel e em casas de jogos, onde conheceu a máfia e chegou a ser presa por envolvimento com pessoas de má índole. Ficou internada ainda num reformatório, de onde fugiu e passou a viver nas ruas, sendo levada depois para um orfanato, no Bronx. Em 1935 passou a integrar a Orquestra de Webb no Savoy, no Harlem. O líder da banda, Chick Webb morreu em 16 de junho de 1939, e sua banda passou a se chamar "Ella Fitzgerald and her Famous Orchestra". Tinha oito cordas vocais e muita habilidade com o improviso. Venceu 14 prêmos Grammye e recebeu a Medalha Nacional das Artes, do presidente americano Ronald Regan e a Medalha Presidencial da Liberdade, de George W. Bush. Se casou três vezes, sendo uma com o traficante de drogas condenado, Benny Kornegay (o casamento foi anulado dois anos depois), com o contrabaixisa Ray Brown (o casal adotou um filho da meia-irmã de Ella) e com o norueguês Thor Einar Larsen (os dois se casaram em segredo mas ele acabou preso por roubar uma garota com quem tinha um caso extra-conjugal). Sua carreira durou 59 anos e ficou conhecida como "Primeira Dama da Canção" e "Lady Ella". Foi a primeira negra a se apresentar no Mocambo, a pedido da atriz Marilyn Monroe, ao dono do local e o fato virou peça teatral, em 2005. Também trabalhou no cinema, em filmes como "Pete Kelly's Blues" e fez muitos comerciais para TV. Morreu em 15/06/1996, aos 79 anos, na Califórnia, vítima da diabetes, depois de ter ficado cega e ter as duas pernas amputadas. Seu corpo está enterrado no Inglewood Park Cemetery, na mesma cidade. Seus acervos musicais estão guardados na Biblioteca do Congresso e seu arquivo musical, no Museu Nacional de História Americana. Já sua coleção de partituras está guardada na Biblioteca Schoenberg, na UCLA.

Elis Regina - Cantora brasileira nascida em Porto Alegre (RS) em 17/03/1945, Elis Regina de Carvalho Costa é considerada a maior cantora popular do Brasil desde os anos 60 até os 80 e foi eleita pela revista Rolling Stone como a 14a melhor voz feminina da música brasileira. Seu nome foi tirado de um romance que sua mãe leu. Começou a carreira num programa infantil na rádio Farroupilha, aos onze anos de idade, e aos 13 anos passoua apresentar um programa na Rádio Gaúcha, sendo chamada de "A estrelinha da Rádio Gaúcha", ano em que foi considerada a "melhor cantora do rádio", chegando a gravar três discos no Rio Grande do Sul. Em 1961 foi para o Rio de Janeiro, mas seu sucesso viria quando saiu-se vencedora apenas no festival da TV Excelsior, em 1965, quando foi convidada para apresentar na TV, ao lado do cantor Jair Rodrigues, o programa "O Fino da Bossa", dirigido pelo primeiro marido da cantora, Ronaldo Bôscoli. Os dois se casaram em 1972 e tiveram o filho João Marcelo. Sofreu influência das cantoras do rádio, especialmente de Ângela Maria. Inicialmente não fez sucesso com a gravação de quatro discos. Depois casou-se com o pianista César Camargo Mariano, com quem teve dois filhos: Pedro e Maria Rita. Os dois ficaram juntos até 1981. Elis cantou muitos gêneros da música, de MPB a rock, samba, jazz, sendo sua música mais famosa "O Bêbado e o Equilibrista". Foi a primeira pessoa a inscrever a própria voz como se fosse um instrumento, na Ordem dos Músicos do Brasil. No início da carreira ela cantava balançando os braços e só conseguiu tirar esses trejeitos ao conhecer o coreógrafo Leni Dalli, no Beco das Garrafas, reduto da Bossa Nova. Engajada politicamente, criticou em músicas e entrevistas a Ditadura, sem medo da perseguição e em 1969 disse que o Brasil era governado por gorilas, sendo obrigada pelas autoridades a cantar o Hino Nacional durante um espetáculo hum estádio, o que provocou revolta da esquerda, mas fez isso para fugir da prisão e das torturas. Morreu em 19/01/1982, após overdose de cocaína e de bebia alcoólica, aos 36 anos, no auge da carreira. Todos os filhos de Elis são artistas musicais. Em 2005 foi inaugurado em Porto Alegre, um acervo com seus objetos na Casa de Cultura Mário Quintana. Sua vida é contada no filme "Elis", lançado em 2016.





Elizeth Cardoso - Cantora brasileira nascida em 16/07/1920 no Rio de Janeiro, filha de pai seresteiro, e de uma dona-de-casa, Elizeth Moreira Cardoso tinha cinco irmãos, e foi considerada uma das maiores intérpretes da música brasileira. Nascida num cortiço perto do Morro da Mangueira, de família humilde, começou a cantar na infância, nas ruas de bairros da zona norte carioca, sempre levada pelo pai, que cobrava dez tostões pelas apresentações da filha (ela cantava músicas de vicente Celestino). Para ajudar no orçamento, começou a trabalhar aos dez anos como balconista, funcionária de uma fábrica de sabão e cabeleireira. Aos 16 anos mudou-se com a família para o centro do Rio e na festa de seu aniversário, conheceu Pixinguinha, Jacob do Bandolim e outros, que ficaram encantados quando ela cantou e foi convidada a participar de um teste na rádio Guanabara, tendo saído vencedora. Sua primeira apresentação foi em 1936, quando foi contratada para um programa semanal de rádio, iniciando sua carreira de sucesso que durou décadas. Seu primeiro namorado foi o jogador Leônidas da Silva e se conheceram numa viagem a trabalho e os dois foram morar juntos, apesar dos protestos do pai dela. Ela tinha 17 anos e alguns anos depois, adotou uma menina, Tereza Carmela Moreira Cardoso, que encontrou num cesto na porta de sua casa. Por causa disso, o jogador a abandonou e ela ficou sozinha com a criança e a registrou apenas com o seu sobrenome, o que foi um escândalo para a epóca. Alguns anos depois se apaixonou pelo cavaquista Ari Valdez e foram morar juntos, tendo ela engravidado, em 1940, de um menino, Paulo Cézar, e então se casaram oficialmente. Por causa das traições do marido, se separaram e ela mudou-se para São Paulo, onde passou a apresentar-se na Rádio Cruzeiro do Sul, no programa "Pescando Humoristas". Divorciada, voltou a assinar o nome de solteira. Sem ajuda do marido, passou por dificuldades financeiras e para criar os filhos, deixou de fazer shows e passou a trabalhar como taxista na noite carioca, por dez anos. Com o dinheiro, conseguiu comprar sua casa própria. Não quis mais se casar, mas namorou bastante, como os três maestros Dedé, Evaldo Rui e Paulo rosa, sendo que os dois últimos chegaram a brigar por ela e Evaldo a ameaçá-la. Em 1954, depois de implorar para voltar, Evaldo se suicidou, causando depressão na cantora, que teve que ser internada às pressas com crise de apendicite. Em 1966 ela começou a namorar com o compositor Cyro Monteiro e os dois começaram a fazer shows juntos e chegaram a gravar um disco, mas as brigas começaram e a cantora Elis Regina, amiga dele, entrou na confusão e as duas passaram a não se falar mais. Em público, pediu que Elis a respeitasse como mulher, já que tinha idade para ser a mãe dela. Em 1969, ao perder a mãe, foi homenageada com o prêmio Esta´dio de Sá, das mãos do então governador Negrão de Lima. Oito dias depois recebeu a estatueta de melhor cantora pelo governo do Rio de Janeiro. Namorou bastante atores, compositores e cantores da época. Durante muitos anos, foi madrinha do clube carnavalesco Bola Preta. Em 1987, no Japão, passou mal e descobriu que estava com câncer no estômago. Morreu em 07/05/1990, na Clínica Bambina, no Rio de Janeiro. Seu corpo foi velado no teatro João Caetano e está enterrado no Cemitério do Caju (RJ).





Elza Soares - Cantora brasileira nascida no Rio de Janeiro em 23/06/1930, Elza da Conceição Soares era filha de um operário violinista e de uma lavadeira, e antes de ser famosa, também lavou roupas, foi encaixotadeira e trabalhou numa fábrica de sabão. Casou-se pela primeira vez aos doze anos e foi mãe aos 13, ano em que participou do programa do Ary Barroso, no rádio, para comprar remédio para o filho recém-nascido. Acabou ganhando o concurso e começou assim sua carreira, que perdura até hoje. Aos 15 anos perdeu seu segundo filho e em seguida, ficou viúva, tendo que cuidar dos outros cinco filhos, quatro meninos e uma menina. Aos 32 anos, já cantora de sucesso, conheceu e se apaixonou pelo jogador Mané Garrincha e ela foi acusada de ter causado a separação dele com a esposa. Por causa disso, chegou a ser hostilizada e ameaçada de morte pelas mulheres na época, e muitas jogavam ovos e tomates na casa dela. Em 1969 Elza perdeu a mãe num acidente de carro em que Garrincha, dirigia alcoolizado. Eles viveram juntos por 16 anos, de 1968 a 1982 e tiveram um filho, que morreu aos 9 anos de idade, em 1989, afogado após um acidente de carro, em que o menino foi arremessado para dentro do rio Imbariê, na Rodovia Rio-Magé. Garrincha morreu em 1983, de cirrose. Elza pensou em suicídio, mas resolveu morar fora do Brasil e fez turnês nos Estados Unidos e Europa e na volta, reencontrou uma filha após investigações. Em 2015, Elza perdeu seu quinto filho, Gilson, aos 59 anos, vítima de infecção urinária. Durante as entrevistas, ela pede para não falar sobre a morte dos filhos. Em sua carreira, recebeu indicações ao Grammy Awards e em 1999 foi eleita, pela Rádio BBC de Londres como a cantora brasileira do milênio. Sua vida é contada no filme My Name is Now, Elza Soares, lançado em 2014, pela cineasta e jornalista Elizabete Martins Campos, que dirigiu o longa-metragem e no livro  "Elza Soares - Cantando para não Enlouquecer". José Louzeiro. Editora Globo, 1997. Aos 70 anos começou a namorar um rapaz bem mais jovem do que ela.






Emilinha Borba - Cantora brasileira nascida no Rio de Janeiro em 31/08/1923, Emília Savana da Silva Borba, começou a carreira na infância e aos 14 anos, quando ganhou seu primeiro prêmio, na "Hora Juvenil", da Rádio Cruzeiro do Sul. Venceu ainda no programa "Calouros de Ary Barroso" e fez parte do coro das gravações da Colúmbia, e junto com Bidú Reis, formou a dupla As Moreninhas.  As duas gravaram "A História da Baratinha" e participaram de vários programas de rádio, até que Emilinha passou a cantar sozinha, sendo contratada pela Rádio Mayrink Veiga, recebendo de César Ladeira o título de "Garota Grau Dez". Em 1939 gravou seu primeiro disco com o nome de Emília Borba, ano em que foi levada por Carmem Miranda para fazer um teste no Cassino da Urca, tendo sido aprovada depois de falsificar a idade, já que era menor (a mãe dela era camareira do local). Depois de se apresentar como crooner passou a atuar em filmes como "Banana da Terra". Em 1942 foi contratada pela Rádio Nacional, sendo chamada de "A Estrela Maior", tendo ficado na empresa por 27 anos e durante 19 anos foi a "campeã absoluta em correspondência" de 1946 à 1964. No cassino, Emilinha encantou Orson Welles e despertou ciúmes em Linda Batista, que tinha um romance com o produtor americano. Para descontar, Linda humilhava a mãe de Emilinha, que era camareira do local, e impedia que a colega fizesse sucesso, e certa vez rasgou o vestido da colega, antes de ela entrar no palco. Em 1949, a partir de um concurso para Rainha do Rádio, a cantora Marlene venceu no lugar de Emilinha, criando assim uma rivalidade entre as duas, mas apenas comercialmente. Recebeu vários prêmios e condecorações em sua carreira. Quando ela visitava uma cidade, o prefeito decretava feriado e ela era sempre recebida com pompa e desfilava em carro aberto. Foi garota-propaganda do Leite de Rosas, sendo a primeira artista brasileira a fazer uma longa excursão pelo país com patrocínio exclusivo. Até Agosto de 1995, foi a personalidade brasileira que maior número de vezes foi capa de revistas no Brasil, um total de 350. De 1968 a 1972 teve edema nas cordas vocais e, após três cirurgias voltou a cantar. Em 2003, após 22 anos sem gravar, a lançou o CD "Emilinha Pinta e Borba", com participações de diversos cantores. Era conhecida ainda como "A Favorita da Marinha". Morreu aos 82 anos, em 03/10/2005 de infarto, em casa, no Rio de Janeiro.






Fafá de Belém - Cantora brasileira nascida no Pará em 09/08/1956, filha de um advogado e de uma dona-de-casa, Maria de Fátima Paglia de Figueiredo começou sua carreira musical fazendo pequenas apresentações em eventos e ficou famosa em 1975, com a música "Filho da Bahia", que fez parte da trilha sonora da novela "Gabriela". Parente de políticos, de família de classe média-alta, chegou a fugir de casa algumas vezes para fazer apresentações em shows. Em 2011 foi condecorada com a Medalha de Mérito Turístico de Portugal. Tem uma filha, Mariana, com o saxofonista Raul Mascarenhas, com quem teve um rápido romance. A gravidez de Fafá foi muito comentada, porque ela não estava casada e afirmava que o desejo de ser mãe não incluía casamento. Em 1998 ela engravidou novamente, do namorado, mas sofreu um aborto espontâneo e entrou em depressão profunda, principalmente porque tentou ter mais filhos mas não conseguiu. Em 1984 a cantora participou das "Diretas Já", campanha política para votação direta para presidente do Brasil, ficando conhecida como "A Musa das Diretas". Também nos anos 80 quebrou o protocolo ao cantar durante a visita do Papa ao País, e correu até ele para lhe abraçar, fato muito comentado na época. A marca da cantora é sua gargalhada. Tem duas netas.







Isaurinha Garcia - Cantora brasileira nascida em São Paulo, em 26/02/1923, filha de um ventríluco, Isaura Garcia era sobrinha do pintor Giuseppe Pancetti. Foi considerada a Edith Piaf brasileira, tendo gravado mais de trezentas canções, entre elas, "Mensagem", seu maior sucesso. Foi casada com o organista Walter Wanderley, com quem teve a única filha, Mônica. O casamento foi conturbado porque ele era mulherengo, e ela muito ciumenta, tendo inclusive estapeado a cantora Claudette Soares, por causa de um romance entre ela e seu marido, na época. Antes da fama foi lavadeira junto com a mãe, ajudou na loja de vinhos da família e trabalhou como cantora no bar de seu pai. Começou a carreira participando de programas de calouros e começou a fazer sucesso em 1938, quando foi contratada por uma rádio. Sem dinheiro, ela pegava o bonde ou ia a pé todos os domingos se apresentar no programa. Foi campeã de vendas da gravadora RCA/ Columbia, com 50 anos de carreira. Morreu pobre, em 30/08/1993. Dez anos depois foi homenageada pela atriz Rosamaria Murtinho numa peça teatral "Isaurinha, jazz e Bossa Nova". Recebeu de Blota Júnior o slogan: "Isaurinha, A Personalíssima", que acabou batizando o seu primeiro LP. 





Ivete Sangalo - Cantora, atriz, produtora, empresária e compositora brasileira nascida em 27/05/1972 em Juazeiro do Norte (BA), Ivete Maria Dias de Sangalo Cady, filha de uma dona-de-casa pernambucana e de um joalheiro espanhol, começou a carreira cantando em bares e alcançou o sucesso com a Banda Eva, nos anos 90. É uma das artistas que mais vendem discos na atualidade no Brasil, tendo vendido 20 milhões de cópias em toda a carreira, tendo recebido 15 indicações ao Grammy Latino, tendo ganhado três vezes: em 2005, 2012 e 2014. É recordista do prêmio Multishow e do prêmio "Melhores do Ano" da Rede Globo, com onze troféus, além de seis troféus "Imprensa. Foi nomeada embaixadora da Boa Vontade no combate ao tráfico de pessoas no Brasil, pela UNODC e agraciada com a medalha da Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho concedida pelo Tribunal Superior do Trabalho. Em 2012 foi eleita pela revista Rolling Stone como a 100a maior voz brasileira de todos os tempos. Em 2014 recebeu o título de madrinha da aeronave Patrulha P-3AM, do Esquadrão Orungan, do 7o Grupo de Aviação da Força Aérea Brasileira, a FAB. Foi eleita ainda a mulher mais poderosa na lista dos brasileiros mais influentes da Forbes Brasil, em 2014. Casada com o nutricionista Daniel Cady, tem um filho, Marcelo. Também foi casada com o músico David Moraes e namorou o apresentador Luciano Huck. É filha caçula de cinco irmãos. Aos 16 anos perdeu o pai, de infarto, e um irmão atropelado. Para ajudar no sustento da família, chegou a trabalhar como modelo, vendedora de roupas e entregadora de marmitas. Também chegou a cantar em bares em troca de um jantar. Chegou a cursar um ano de Administração e secretariado Executivo. Ivete também participa de muitas campanhas publicitárias. Premiada também internacionalmente, sua fortuna está avaliada em 500 milhões de reais, sendo a sexta cantora mais bem paga do mundo. É dona de sua própria produtora, a "Caco de Telha". Até hoje produziu 16 CDs em 16 anos de carreira. É conhecida como "A Rainha do Axé".




Linda Batista - Cantora brasileira nascida em São Paulo, em 14/06/1919, irmã de Dircinha Batista, Filha do humorista e ventríloquo João Baptista Júnior e de Emília Grandino de Oliveira, de tradicional família paulista, Florinda Grandino de Oliveira começou a carreira acompanhando sua irmã mais nova ao violão durante suas apresentações. Em 1936 teve que substitui-la no programa de Francisco Alves na Rádio Cajuti ano em que também participou, ao lado de Dircinha, do filme Alô Alô Carnaval.  No ano seguinte começou a fazer sucesso, sendo a primeira cantora a ser eleita "Rainha do Rádio", título que manteve por onze anos consecutivos. Pouco depois foi contratada pela Rádio Nacional. Mudou-se com a família para o Rio de Janeiro porque o pai buscava novas oportunidades de trabalho. N capital carioca, ela fez seu curso primário no tradicional Colégio Sion e aos 10 anos, já estudava violão e compôs sua primeira música "Tão sozinha". Ainda menina, costumava ser levada pela empregada da família à gafieira "Corbeille de Flores", que ficava perto de sua casa. No ginásio do Colégio São Marcelo cursou contabilidade e costura. Em 1937, casou-se com Paulo Bandeira, mas separou-se poucos meses depois. Com a morte do pai em 1943, ela interrompeu a carreira por um curto período e voltou em 1959, quando recebeu da UBC e da Sbacem o troféu Noel Rosa. Na década de 1960, começou a afastar-se da vida artística e nos anos 1980 parou de trabalhar, recolhendo-se à companhia das irmãs, em seu apartamento no bairro carioca de Copacabana, o último bem imóvel que lhes restou. No fim da vida, passaram por dificuldades financeiras, tendo sido auxiliadas pelo cantor e fã José Ricardo. Morreu em 17/04/1988, no Rio de Janeiro.









Maria Bethânia - Cantora brasileira nascida em Santo Amaro da Purificação, Bahia, em 18/06/1946, Maria Bethânia Telles Veloso é filha de um funcionário público e uma dona-de-casa, e irmã do cantor Caetano Veloso. Na juventude os dois participaram de festivais da canção e de peças teatrais e em 1965 mudaram-se para o Rio de Janeiro, quando começaram a fazer sucesso, e ela substituiu a cantora Nara Leão no espetáculo "Opinião", ano em que também assinou contrato com a gravadora RCA e lançou um disco. Foi eleita a 5ª maior voz da música brasileira pela revista "Rolling Stone Brasil". Recebeu vários prêmios nacionais e internacionais em mais de 40 anos de carreira. Não se casou nem teve filhos. Nos anos 90 disse numa entrevista que havia colocado silicone nos seios. Em junho de 2015, a cantora foi acusada de porte ilegal de armas, por emprestar um revólver para seu segurança, registrado em seu nome. 






Marisa Gata Mansa - Cantora brasileira nascida no Rio de Janeiro em 27/04/1938, Marisa Vertullo Brandão, ficou conhecida como Marisa Gata Mansa, apelido que ganhou do jornalista Djalma Sampaio por causa de seu jeito calmo de falar.  Namoradeira, casou-se uma única vez, com o compositor e pianista César Camargo Mariano, que compôs em sua homenagem a música Marisa, que foi tema da cerimônia de casamento, na igreja. Juntos, tiveram um filho, único de Marisa, chamado Marcelo Camargo Mariano. O casal se separou nos anos 70,  por causa das brigas constantes. Após a separação, teve outros relacionamentos, mas não quis casar-se outra vez. Sua música mais famosa é Você Esteve com Meu Bem. Foi crooner do Golden Room do Copacabana Palace e, substituiu Dolores Duran, no Bacará. Ganhou muitos troféus, mas passou seus últimos anos sozinha em seu apartamento, recebendo visita apenas do filho e de alguns amigos. Morreu em 10/01/2003, no Rio de Janeiro, de isquemia cardíaca.  










Marlene - Cantora brasileira nascida em 22/11/1922 em São Paulo, Victoria Bonaiuti de Martino Delfino dos Santos gravou mais de mil canções. Junto com Emilinha Borba foi um dos maiores mitos do rádio brasileiro em sua época de ouro. Participou como atriz de onze filmes, TV e peças teatrais, como "Corações sem Piloto", de 1944 e "Depois do Casamento", em 1952.  Participou de turnês internacionais pelo Uruguai, Argentina, Estados Unidos e França (apresentou-se por quatro meses e meio no Teatro Olympia, em Paris, a convite de Edith Piaf) Morreu em 13/06/2014. Foi casada com o ator Luíz Delfino, de quem adotou o sobrenome Delfino após o casamento.








Maysa - Cantora, compositora e atriz brasileira nascida em 06/06/1936 no Rio de Janeiro, de família tradicional, Maysa Figueira Monjardim era neta do barão de Monjardim, presidente da província do Espírito Santo e sua família era dona da fazenda Jucutuquara, em Vitória, onde hoje é o museu Solar Monjardim. A família mudou-se para Bauru (SP) em 1947. Maysa estudou em colégios tradicionais e se casou aos 18 anos com o empresário André Matarazzo, com quem teve o único filho Jaime Monjardim, que hoje é diretor de novelas da TV Globo. No auge da carreira, deixou o menino num colégio interno, para se dedicar à carreira e isso criou um afastamento do filho, que depois passou a ser criado pelo pai e pela madrasta. Em 1957 separou-se e voltou a usar o sobrenome de solteira, Figueira Monjardim e ficava nervosa quando a chamavam de Matarazzo. No mesmo ano foi apontada como A Maior Revelação Feminina" e foi chamada de "A Melhor Cantora do Brasil", além de receber muitos troféus. Com apenas um disco gravado vendeu milhares de cópias. Teve vários relacionamentos, entre eles com o compositor Ronaldo Bôscoli, com o maestro Julio Medaglia e com o empresário espanhol Miguel Azanza. Também teve um romance com o ator Carlos Alberto. Como atriz, participou das novelas "O Cafona", "Bel-Ami" e o espetáculo "Woyzeck". Em 1958 mudou-se para o Rio de Janeiro, onde foi contratada da TV Rio, patrocinado pelos Biscoitos Piraquê, sendo uma das cantoras mais bem pagas do país. Sua música mais famosa é "Meu Mundo Caiu". Em 1960 tornou-se a primeira cantora brasileira a se apresentar no Japão. Passou a morar nos Estados Unidos e voltou ao Brasil em 1969. Nos anos 70, com depressão, passou a viver isolada em sua casa de praia em Maricá e se apresentava em boates e a agenda de shows passou a enfraquecer. Compôs 30 músicas em sua carreira. Morreu em Niterói (RJ) em 22/01/1977, num acidente de carro na ponte Rio-Niterói, quando ia para o casamento do seu filho. Em 2014 foi homenageada pela escola de samba Acadêmicos do Grande Rio, com o enredo "Verdes Olhos sobre o Mar, no caminho: Maricá".



Nana Caymmi - Cantora brasileira nascida em 29/04/1941, no Rio de Janeiro, Dinahir Tostes Caymmi é filha do compositor Dorival Caymmi e começou a carreira em 1960 com a gravação da música "Acalanto", ano em que assinou contrato com a TV Tupi para apresentar o programa "Sucessos Musicais" e em seguida, o programa "A Canção da Nana". Em 1961 casou-se com o médico venezuelano Gilberto José Aponte Paoli e mudou-se para a Venezuela. Com ele teve as filhas Stella e Denise e passou a cuidar das crianças sozinhas, já no Brasil. Em 1966 venceu a fase nacional do Primeiro Festival Internacional da Canção, no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro e assinou contrato com a TV Record em São Paulo, época em que se casou com o cantor Gilberto Gil e com ele compôs a música "Bom Dia", apresentada no 3o Festival da Música Brasileira em 1967 na Record. Em 1968 separou-se e ficou com três os filhos. Em 1974 lançou o disco "Nana Caymmi" que vendeu 20 mil cópias e com sua divulgação, passou uma longa temporada na Argentina. Em 1976 recebeu o troféu "Villa-Lobos" como Melhor Cantora do Ano, pela Associação Brasileira de Produtores de Discos. Em 1979 apresentou-se com o conjunto Boca Livre no Teatro do Hotel Nacional, onde conheceu o futuro marido, Claudio Nucci, muitos anos mais novo do que ela. Em 1982 interpretou ela mesma na novela "Champanhe" da TV Globo. Em 1989, seu filho João Gilberto sofreu um grave acidente de moto e ela abandonou a carreira temporariamente para cuidar dele, e voltou em 1991, e um ano depois deu à luz sua neta, Carolina. Recebeu seu primeiro disco de ouro em 1999. Em 2008, com a morte dos pais, ela pensou em abandonar a carreira, mas voltou um ano depois com o álbum "Sem Poupar Coração".



Nara Leão - Cantora brasileira nascida em Vitória (ES) em 19/01/1942, filha caçula de um advogado e uma professora, ficou conhecida como a "Musa da Bossa Nova". Mudou-se com a família para o Rio de Janeiro, com um ano de idade e começou aulas de violão ainda na adolescência, logo se tornando professora da escola de música de Carlos Lyra. Logo fez amizades com cantores e compositores famosos e os recebia em seu apartamento, nascendo ali a Bossa Nova, época em que namorou o cineasta Ruy Guerra. Também namorou Roberto Menescal e Cacá Diegues, com quem foi casada. Em 1958 trabalhou como secretária e depois como repórter do jornal "Tablóide UH", já que o veículo pertencia ao marido de sua irmã, Danuza Leão. Em 1960 passa a se interessar pela política e a gravar músicas de protesto. Sua música mais famosa é "A Banda". Nos final dos anos 60 ela rompeu com a Bossa Nova e vai para Nova Iorque estudar teatro e música. De volta ao Brasil, participou de peças teatrais e passou a apresentar programas de TV e musicais em teatros de Ipanema, além de participar de protestos e manifestações públicas contra a Ditadura. Amedrontada com a ideia de ser presa, passa a morar em 1969 em Paris, com o marid e lá nasceu a filha deles, Isabel Diegues. De volta ao Brasil, ela teve o segundo filho, Francisco. Em 1974 passou no vestibular de Psicologia da PUC do Rio de Janeiro e diminuiu o ritmo dos shows. Em 1976 separou-se depois de nove anos de casada e voltou a usar seu sobrenome de solteira, e começou aí crises de depressão. Morreu em 1989, de câncer no cérebro, ao lado do namorado Marco Antônio Bompet. Seu corpo está enterrado no Cemitério São João Batista, no Rio de Janeiro.



Nora Ney - Cantora brasileira nascida em 20/03/1922, no Rio de Janeiro, filha de uma dona-de-casa de um carregador de mercadorias no mercado, Iracema de Sousa Ferreira começou a gostar de música quando ganhou um violação e aprendeu a tocar, sozinha. Ainda na infância participava de programas de calouros em rádios, mas começou a fazer sucesso em 1950, consagrando-se três anos depois, já aos 30 anos de idade. Foi casada duas vezes, sendo a segunda com o cantor Jorge Goulart. Teve dois filhos, sendo que a menina, Vera Lúcia, se tornou Miss Mundo em 1963. Por causa das atividades políticas do marido Cleido Maia, no Partido Comunista, morou em vários países. Os dois se separaram por causa das traições dele, do vício em bebida, e por ele não gostar de trabalhar. Enciumando, em 1952 ele obrigada Nora a tomar 30 comprimidos e ela foi internada pelos vizinhos, que estranharam o silêncio na casa, já que as brigas eram constantes. Separados, ela começa um romance com Jorge Goulart e passa a ser acusada de adultério, de abandono dos filhos, etc. Formada em Contabilidade, tinha duas irmãs  e antes de ser famosa, costumava fugir de casa para cantar na rádio Cruzeiro do Sul e acabava apanhando do pai. Morreu em 28/10/2003 no Rio de Janeiro, depois de um ano internada em clínicas cariocas. Neste mesmo ano seu marido, Jorge, programou um espetáculo em sua homenagem no teatro João Caetano. Em 2000 foi homenageada no show de Elymar Santos, no Canecão.



Rita Lee - Cantora e compositora brasileira nascida 31/12/1947 em São Paulo, filha de um dentista e de uma dona-de-casa, Rita Lee Jones é conhecida como "A Rainha do Rock Brasileiro", chegando a vender 55 milhões de discos nos anos 80, com hits como "Lança-Perfume" . Começou a carreira nos anos 70 com os grupos "Os Mutantes" e "Tutti Frutti". Defensora dos animais e vegetariana, suas músicas falam de protestos, de liberação feminina, entre outros. Conheceu o marido, o produtor e guitarrista Roberto de Carvalho, em 1976 e com ele tem três filhos e uma neta. Com 50 anos de carreira, teve sua vida contada em 2016, num espetáculo teatral, em que a atriz Mel Lisboa interpreta a cantora. Em 2008 ficou no 15o lugar da lista de maiores artistas da música brasileira. Por causa da militância política, chegou a ficar presa quando estava grávida e na prisão era querida pelas presidiárias que se identificavam com sua canção "Ovelha Negra". Em 2013 tirou os dois seios para evitar câncer de mama, já que sua mãe era portadora da doença. Em 2016 lançou sua autobiografia.




Sylvia Telles - Cantora brasileira nascida em 27/08/1934, no Rio de Janeiro, mãe da cantora Cláudia Telles, fez sucesso como intérprete da Bossa Nova, nos anos 60, em canções como "Chove Lá Fora", "Ponto Final" e "Amargura". Começou a carreira, que durou apenas dez anos, quando foi apresentada por um amigo, a cantores e compositores famosos. Seu irmão, também era músico. Foi casada com o músico e advogado José Cândido de Mello Mattos, o Candinho, que morreu jovem, pai de sua filha, Cláudia (ele morreu jovem sem ver o sucesso de Sylvia). Em 1960 conheceu em Nova Iorque o produtor musical Aloysio de Oliveira, com quem se casou e se separou quatro anos depois, por causa do ciúme dele (ele acabou se casando com a cantora Cyra, do Quarteto em Cy).Ganhou fama com a música "Amendoim Torradinho". Morreu em Maricá, em 19/12/1966, aos 31 anos, num acidente de carro, ao lado do namorado Horácio, que também morreu. Ele era filho da sociealite Lyli Marinho, ex-mulher de Roberto Marinho, dono da TV Globo. 




Zizi Possi - Cantora brasileira nascida em São Paulo, em 28/03/1956, Maria Izildinha Possi é irmã do produtor teatral Luiz Possi Neto e mãe da cantora Luíza Possi, que teve com o produtor musical Líber Gadelha, com quem foi casada por seis anos. Ainda na infância mudou-se para Salvador (BA), onde estudou canto e piano. Chegou a cursar a faculdade de regência mas abandonou o curso para atuar como atriz de teatro, chegando a fazer alguns espetáculos musicais. Também deu aulas de música para filhos de prostituas no Pelourinho e gravou jingles comerciais, antes de fazer sucesso no Brasil e no exterior, com músicas como "Asa Morena", "Per Amore" (com essa música ela ganhou o Troféu Imprensa em 1997) e "A Paz", que foi tema da parada Gay, em São Paulo. Mudou-se para o Rio de Janeiro em 1978, e lá trabalhou como tradutora do italiano para o português. Gravou o primeiro disco aos 22 anos, "Flor do Mal". Em 1981 ganhou o primeiro prêmio da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), ano em que seu romance com a cantora Ângela Rô Rô veio à público, após uma briga das duas. 





Wanderléya -Cantora brasileira descendente de libaneses, nascida em 05/05/1946 em Governador Valadares (MG), conhecida como Ternurinha, Wanderléa Charlup Boere Salim começou a carreira nos anos 60 e ficou famosa em 1965, durante a Jovem Guarda, programa de TV dominical ao lado de Roberto Carlos e Erasmo Carlos, época em que também atuou como atriz em filmes como "Juventude e Ternura" (1968) e "Roberto Carlos e o Diamante Cor-de-rosa" (1968). Morou em Lavras (MG) durante a infância, e na juventude se mudou com a família para o Rio de Janeiro. Começou a carreira aos dez anos de idade, participando de concursos em rádios, lançando seu primeiro disco em 1962, e aos 15 já fazia shows em boates com autorização do pai por ser menor de idade. Foi casada duas vezes e tem duas filhas, mas em 1982 seu filho Leonardo, aos dois anos de idade morreu afogado na piscina de casa, enquanto ela estava fora fazendo shows. Sua irmã, ainda criança, morreu vítima de bala perdida e seu irmão, na fase adulta, morreu de Aids e após depressão profunda, a cantora foi diagnosticada com câncer e útero e teve que retirá-lo. Aos 16 anos ficou noiva de Zé Renato, filho do apresentador Chacrinha e ficou com ele por sete anos, mesmo após um acidente que o deixou tetraplégico. Seu segundo marido foi o guitarrista chileno Lalo Califórnia, pai de seus filhos. Eles continuam juntos, mas moram em casas separadas.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários para os e-mails: carlaolharfeminista@gmail.com ou carlahumberto@yahoo.com.br

Beijos,

Carla Vilaça