domingo, 18 de junho de 2017

Feliz Aniversário, ex-marido!

Meu ex-marido faz aniversário hoje e eu não poderia deixar de homenagear o homem que foi tão importante na minha vida nos útlimos 12 anos. Fui apresentada ao Humberto, num inverno de 2004, por colegas de faculdade da minha irmã, e não me interessei por ele, inicialmente. Muito magro e sorridente, me pareceu um menino que só queria curtir a vida adoidado, enquanto eu buscava um cara que me levasse ao altar e me desse filhos. Meu relógio biológico já estava gritando e não era o momento de perder tempo com romances desinteressantes. Chegamos a dançar juntos no barzinho, mas o abandonei na pista de dança e só permiti que lhe dessem o número do meu celular, quatro meses depois, após muita insistência dele.
Nascimento do nosso filho
Saímos sozinhos, pela primeira vez, em setembro daquele ano, num domingo à tarde. Fomos a um barzinho e lá aconteceu o nosso primeiro beijo,  e dois anos depois nos casamos na igreja. Em nossa casa, éramos também um grude, mas faltava diálogo. Sou muito falastrona, ao contrário do Humberto, que é capaz de passar o dia todo em silêncio. Não tardou muito para as brigas começarem. Mas, na cama nos entendíamos muito bem e engravidei três anos depois do nosso único filho, Eduardo, que hoje está com sete anos. 
Nosso casamento em 2006
Depois do nascimento do Edu, nossas brigas aumentaram, assim como as viagens do Humberto. Eu cobrava suas ausências e ele se justificava com o trabalho. Me sentindo sozinha, comecei a imaginar que ele me trocara por outra mulher e passei a exigir sua presença, numa chatice sem fim. Nunca tinha sido ciumenta e experimentava esse sentimento humilhante pela primeira vez. Irritado, ele se afastava cada vez mais. Como não havia conversa, não aguentei mais a solidão e pedi o divórcio. Humberto não foi à audiência, acreditando que o juiz não daria a sentença, mas liguei para ele, do ônibus, avisando que a partir de então ele estava livre para curtir a vida. Ele me respondeu que em casa conversaríamos.
Batizado do Eduardo
Ao chegar, à noite, Humberto disse que desta vez fui eu quem precipitou, que me amava e que o silêncio faz parte de sua personalidade. Arrependida, chorei muito e ele também caiu em lágrimas. Namoramos mais uma vez e tentamos novamente aquele casamento, já separado judicialmente, mas ainda presente em nossos corpos. Não deu certo. Três meses depois saí de casa com o meu filho, para um apartamento alugado, e um vazio enorme no peito. O Humberto foi um cara que entrou na minha vida para mexer com tudo. Nestes extremos, tenho mais a agradecer do que reclamar. Feliz Aniversário, meu ex-marido! Obrigada por ser um homem tão cheio de qualidades e um pai extremoso. Sinto muito que tudo tenha terminado desta maneira. Peço perdão por tê-lo feito sofrer e te perdoo também. Tenho gratidão enorme por ter me permitido ser mãe e por ter sido sua esposa. Que sua felicidade seja plena e todos os seus sonhos realizados. Um beijo meu e do Eduardo!

Carla Vilaça
18/06/2017.











Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários para os e-mails: carlaolharfeminista@gmail.com ou carlahumberto@yahoo.com.br

Beijos,

Carla Vilaça