domingo, 13 de janeiro de 2013

Bagunça masculina e feminismo!

Não sei porque os homens insistem em colocar suas roupas usadas em cima de móveis ou qualquer objeto pela casa. Eles não enxergam a própria bagunça, mas não fecham os olhos para as nossas! Meu marido, por exemplo, quando chega do futebol, larga o uniforme do time suado (quando não joga em cima de mim, fazendo gracinhas) no primeiro lugar que encontra. Cansada desta situação, resolvi, nesta semana, usar outra tática. Pendurei aquela roupa imunda na maçaneta da porta, para quando ele voltasse do trabalho, percebesse o erro, e nunca mais fizesse aquilo. Mas, para minha surpresa, meu marido simplesmente colocou o uniforme na máquina de lavar e foi dormir.
Se a bagunça masculina não os incomoda, ela tira o sossego das mulheres. Perdemos um tempo enorme guardando o que eles jogam pelos cantos e xingando, sem qualquer resultado positivo. O mesmo sermão que dou sobre as roupas, meu marido me prega outro em relação ao meu carro, que vive cheio de brinquedos, papéis e está sempre com o assoalho sujo.
A bagunça masculina é sempre discutida nos momentos de reunião entre as mulheres (em segundo lugar, vem a intimidade com eles, claro), e vemos este problema como uma doença sem cura. Não há o que dizer se os maridos não seguem as regras para uma organização no lar. Enquanto nos preocupamos com a vasilha suja na pia e as roupas por passar, eles chegam em casa e conseguem deitar-se no sofá  e assistir televisão.
Quando namorávamos, meu marido morava sozinho e realizava todas as tarefas domésticas sem uma ajuda feminina. Após o casamento, eu passei a fazer tudo sem a ajuda de ninguém. Como é muito machista, o Humberto acha que apenas as mulheres devem se preocupar em arrumar a casa, lavar e passar roupas. Quase não tenho tempo para mim, não consigo assistir a um filme, ler um livro, arrumar as unhas. Se eu não tivesse que trabalhar, tudo bem. Mas, após tripla jornada, sou uma mulher cansada, sem espaço para vaidades ou prazer. Vivo apenas para o trabalho e a casa. Sinceramente, o feminismo exagerado trouxe benefícios, porém ainda mais dificuldades para a mulher. Nós mudamos, conquistamos direitos, mas esquecemos de mudar a cabeça dos homens, que se acostumaram a dividir as despesas, não as obrigações. Pois Sim!!!
 

2 comentários:

  1. Lacra a cozinha da casa como eu fiz, não passa mais roupas, só faz aquilo que gostas na tua casa. Ensina teu filho a fazer a parte dele e vai curtir a vida. Sem essa de que as mulheres têm que fazer tudo sozinha. Fiz a vida toda tudo sozinha e minha mãe também, ela morreu cheia de mágoas e eu não quero seguir o seu caminho.Eu cansei, meus filhos não ajudam em nada e eu não sou empregada deles mais. Beijos, querida!

    ResponderExcluir
  2. Boa noite, Tânia. Você tem razão. Hoje consegui resolver tantas coisas que estavam pendentes. Passei as férias preocupada em descansar e a casa continua bagunçada e eu não me importo mais. Os homens têm a visão de que nós vivemos para eles, não é? Isto não está correto, pois o cansaço é muito grande para tantas tarefas. Grande abraço, adorei seu comentário. Com carinho, Carla Vilaça

    ResponderExcluir

Comentários para os e-mails: carlaolharfeminista@gmail.com ou carlahumberto@yahoo.com.br

Beijos,

Carla Vilaça